Bolsonaro e a estratégia de sete pontos para fazer o povo esquecer o motorista

Bennon e Bolsonaro: confundir, nunca explicar

Em artigo publicado em seu blog, o jornalista Leonardo Sakamoto relaciona sete maneiras que Jair Bolsonaro usa para fugir de situações embaraçosas. O título do artigo é: “Sete maneiras de ser presidente e não se preocupar em dizer a verdade”.

A estratégia número 1: Desminta na cura cura, sem piscar.

Estratégia 2: Diante de uma emergência, mude de assunto. Ordene sua equipe para dizer, por exemplo, que há um plano para assassiná-lo.

3: Invente um plano bisonho, como, por exemplo, deixar o acordo mundial sobre o clima.

4: Culpe o PT para algo que incomode as pessoas. Por exemplo, sobre a falência dos serviços de saúde.

5: Invente que a ideologia predominou no governo passado e se contraponha, com a conversa fiada de que fará um governo técnico e pragmático.

6: Peça a alguém próximo para fazer uma proposta bem radical, que você sabe que não será aprovada, mas que vai gerar muita discussão, como a pena de morte.

7: Culpe a imprensa pela mazelas existentes. Faça isso através de outra pessoa, como Olavo de Carvalho, por exemplo.

Se quiser ler o artigo inteiro, clique aqui.

Lembre-se de que, em hipótese alguma, você deve admitir culpa.

Esta é a receita do ideólogo de direita norte-americano, Steve Bannon, que aconselha Donald Trump e Bolsonaro, além de outros líderes de direita em diversos países.

No debate público, o importante é a emoção, jamais a razão, ensina o guru Bannon.