Bolsonaro e a facada do Datafolha: a ojeriza venceu a comoção. Por Kiko Nogueira

Campeão de rejeição

O desempenho de Jair Bolsonaro no Datafolha se deve à sua capacidade de se superar no sentido da iniquidade.

Foi de 22% para 24%, dentro da margem de erro, portanto.

A rejeição, porém, foi de 39% para 43%. Perde para todos os concorrentes no segundo turno. 

Bolsonaro chegou ao teto e não passa dali.

A maneira como seu time reagiu à facada em Juiz de Fora, subindo o tom da agressividade, deu uma contribuição milionária ao fiasco.

Quem, além de um dizimista indigente, suporta Silas Malafaia?

Quem leva a sério Magno Malta fora de seu curral?

Malta espalhou uma montagem grotesca do agressor num ato de Lula.

Flávio Bolsonaro, deputado estadual no RJ, usou uma camisa ensanguentada para convocar bolsominions para um ato em Copacabana.

É tudo baseado em ódio, rancor, mentira, ressentimento e incompetência.

Esse lixo será derrotado e varrido de volta para o esgoto da história.

A briga é quem vai enterrar, se Ciro — que foi de 10% para 13% — ou Haddad — de 4% para 9%, isso antes de ser ungido por Lula, o que ocorrerá na terça.

Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui.

Clique aqui e assine nosso canal no youtube

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!