Bolsonaro e as crianças que atiram: como a lei proíbe, ele quer jogar a lei “na latrina”. Por Kiko Nogueira

O candidato da família

Em agenda de campanha no interior de São Paulo, Jair Bolsonaro jactou-se de que seus filhos atiram “com munição de verdade” desde os 5 anos.

O artigo 242 do Estatuto da Criança e do Adolescente, ECA, classifica como crime “vender, fornecer ainda que gratuitamente ou entregar, de qualquer forma, a criança ou adolescente, arma, munição ou explosivo”.

É passível de prisão, com pena de 3 a 6 anos.

Horas depois, em Araçatuba, ele se irritou ao ser questionado sobre isso.

E resolveu à sua maneira.

“Esse ECA tem que ser rasgado e jogado na latrina”, declarou. 

“Porque nas comunidades tem moleques de 8 anos de idade usando fuzil maior do que ele”.

Segundo o capitão, ‘não podemos ter uma geração de covardes, de ovelhas morrendo nas mãos de bandidos sem reagir”.

Esse é o candidato da lei e da ordem, do cidadão de bem.

Bolsonaro quer jogar o Brasil na latrina.

Será jogado antes.