Bolsonaro, você é o assassino da minha mãe. Por Francisca Carvalho

Jair Bolsonaro. Foto: Wikimedia Commons

A assistente social Francisca Carvalho mandou o seguinte depoimento ao DCM:

Ei Bolsonaro, sabe aquele dia que você falou no seu cercadinho que “NINGUÉM tinha morrido por falta de UTI”? 

Você disse que não ia gastar com isso, porque havia leitos suficientes de UTI. Não ajuda os governos estaduais e ainda mandou seus seguidores invadir hospitais.

Eu nunca acreditei em você, obviamente, porque tudo em você é uma farsa. Você por si só é uma farsa.

Então, Bolsonaro, minha mãe morreu vitima de um AVC, neste dia 17 de junho de 2020, na cidade de Teresina, depois de esperar por quase 2 dias um leito de UTI que faltou no momento que ela mais precisava.

Ela não tinha covid (testou negativo). Ela teve um AVC e resistiu por quase dois dias sem um leito de UTI.

O irmão da minha mãe, um empresário rico, fez uma peregrinação pela cidade de Teresina/PI, para pagar uma internação pra ela numa UTI. Mas não tinha um leito de UTI vago, nem em hospitais particulares, nem públicos.

Eu quero q você saiba, Bolsonaro que, para mim, VOCE SEMPRE SERÁ O ASSASSINO DA MINHA MÃE. E o mundo todo vai saber disso.

Pode rir e comemorar tomando seu leite-nazista, mas o mundo todo vai saber que voce matou minha mãe. Minha mãe era a pessoa mais cheia de vida que eu conheci.

Ela era forte, linda, amável, amada e tinha um nome, se chamava Maria das Graças Alves dos Santos (não era um número). Ela lutou muito pela vida, resistindo, esperando uma UTI para o tratamento que lhe era adequado, mas não teve.

Você e sua necropolítica tiraram minha mãe de mim e da minha família, filhos e netos que a amavam demais, você nunca vai saber o que é o amor que as pessoas tinham por minha mãe, porque você só sabe o que é interesse, dinheiro e ganância por poder.

Até agora voce só trouxe morte, destruição e tristeza para esse país. As pessoas estão morrendo de fome, de depressão, de doenças, de vírus, de descaso, de negligência e do ódio que você acirra contra todos que não comungam de suas idéias neonazistas.

Indígenas, povos das florestas, ribeirinhos, quilombolas, crianças, mulheres, pessoas pobres, negros, lgbts, tanta gente de verdade morrendo aos milhares, enquanto você, um ser sem alma, sem essência humana, só se preocupa com seus planos diabólicos pra livrar sua pele e de sua família pra tentar permanecer no poder.

Eu vou te falar, Bolsonaro, presta atenção: a justiça desse mundo é lenta e pode até demorar um pouco pra te pegar. Mas da justiça divina, pode ter certeza, dessa você não vai escapar.

E sabe quando eu vou te perdoar? No dia q você cair de joelhos me pedindo perdão pela morte da minha mãe. Ou seja, NUNCA.

Porque você nunca teve sequer hombridade nem para dar um palavra de pêsames às milhares de famílias que choram os mortos por seu governo.

Você e seu governo e todos q votaram em você têm suas digitais na morte de minha mãe.

Saiba que não vou arrefecer na luta e na resistência contra o seu governo da morte, pelo contrário, agora você me deu uma razão muito pessoal e muito forte pra lutar contra você e tudo que você representa.

Em honra à memória de minha mãe, mais do que nunca, eu vou lutar, estou transformando toda minha dor em indignação. E toda minha indignação transformo em luta contra seu governo genocida.

#ForaBolsonaroGenocida

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!