Câmara Brasil-EUA continua divulgando evento pró-Bolsonaro em museu de NY que cancelou a festa

Câmara de Comércio Brasil-EUA anuncia evento pró-Bolsonaro em museu que cancelou a festa

O novo vexame internacional de Jair Bolsonaro já ficou para a história.

Nunca antes nesse país um presidente foi despejado dessa maneira em solo estrangeiro.

O Museu Americano de História Natural em Nova York, onde seria realizada a premiação de “Pessoa do Ano” para Bolsonaro, decidiu cancelar o evento.

“Com respeito mútuo pelo trabalho e pelos objetivos de nossas organizações individuais, concordamos em conjunto que o Museu não é o local ideal para o jantar de gala da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Este evento tradicional terá lugar em outro local na data e hora originais”, disse a instituição no Twitter.

A pressão de cientistas, funcionários e do prefeito Bill de Blasio, que chamou Bolsonaro de “ser humano perigoso”, foi avassaladora.

A Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, organizadora da coisa, no entanto, continua divulgando que a festa será lá. 

É uma esperteza para não pegar tão mal com patrocinadores e convidados enquanto eles não acham um bufê ou não reservam o salão do condomínio.

A justificativa para a “premiação” fornece a justa medida para o caráter completamente aleatório da cerimônia.

Bolsonaro, relata o site, “buscou diferentes abordagens para melhorar a segurança dos cidadãos no Brasil. Além dessas iniciativas, ele enfatizou a importância dos valores cristãos e da família.”

Se é por aí, você pode indicar a sua tia fascista — ou a minha — para o convescote do ano que vem.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!