Caso Battisti: Governo Evo Morales passou recibo de subalternidade e covardia. Por Luís Felipe Miguel

NEW YORK, NY – APRIL 21: President of the PluriNational State of Bolivia Evo Morales Ayma speaks during a press conference at United Nations on April 21, 2016 in New York City. (Photo by Jemal Countess/Getty Images)

PUBLICADO NO FACEBOOK DO AUTOR

Cesare Battisti recebeu o refúgio político no Brasil de forma absolutamente legal, por decisão de quem podia concedê-lo e com a anuência do Supremo. A revogação do refúgio, por Temer e pelo STF, é que fugiu completamente à lei. Agora, o governo Evo Morales passa um enorme recibo de subalternidade e covardia ao extraditar Battisti para a Itália, a jato, sem respeitar também os procedimentos legais bolivianos.

Não sou especialista no caso Battisti. Tenho motivos para acreditar que sua condenação na Itália não foi justa (ver o texto de Igor Fuserhttps://jornalistaslivres.org/cinco-razoes-para-defender-c…/). Mas o ponto principal é que o instituto do refúgio político, tão importante para garantir a segurança de militantes e dissidentes pelo mundo todo, vai sendo desmoralizado pela extrema-direita.

Concluo com palavra de uma postagem de João Telésforo: “Na Bolívia, aliás, muitos militantes do MAS, partido de Evo, criticaram duramente esse ato vergonhoso de submissão à internacional da extrema-direita (que também tem o Primeiro-ministro da Itália).

No Brasil, tenho a impressão de que menos figuras públicas levantaram a voz em defesa dos direitos de Battisti do que em 2009-10. Dizer que a vida pede coragem ficou só para os discursos bonitos?”

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!