Caso de militar da comitiva de Bolsonaro preso com cocaína cai como bomba na mídia europeia

Caso de de militar da comitiva de Bolsonaro preso com cocaína cai como bomba na mídia europeia. Foto: Reprodução

A apreensão de 39 quilos de cocaína na bagagem de um militar na comitiva de Jair Bolsonaro rumo ao G20 no Japão repercute na Europa.

O português Diário de Notícias disse que “a polícia espanhola deteve no aeroporto de Sevilha um militar brasileiro membro da comitiva à cimeira (conferência) do G20 no Japão do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, depois de apreender 39 quilos de cocaína na sua bagagem”.

Caso de de militar da comitiva de Bolsonaro preso com cocaína cai como bomba na mídia europeia. Foto: Reprodução

O jornal português descreve o militar como “brasileiro de 39 anos que pertence a uma equipa (equipe) avançada da comitiva que acompanha o presidente brasileiro”. E que ele está “detido no aeroporto de Sevilha e está a aguardar (aguardando) por um juiz, o que deve acontecer nas 72 horas que seguem a detenção”.

O periódico atribui à imprensa brasileira a informação de que a detenção “ levou o Governo brasileiro a mudar a escala do avião do Presidente, que deveria ser feita também em Sevilha, para Lisboa”.

O espanhol El Independiente também destaca que o militar “formava parte de uma expedição avançada prevista à viagem programada ao Japão pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, ao ser descoberto que portava supostamente 39 quilogramas de cocaína em uma mala que levava consigo”.

E explica que nesta quarta-feira o tribunal de justiça local ordenou sua prisão provisória, sem fiança “do homem preso ontem”, afirmando que ele possuía droga na mala e que é investigado por suposto crime contra a saúde pública. O jornal detalha que a droga estava dividida em 37 tabletes.

O El País, na versão espanhola, lembrou que “não é a primeira vez que membros da Aeronáutica brasileira usam sua condição de militares para traficar entorpecentes”.

O principal periódico da Espanha recorda que no último mês de abril, “O Tribunal Superior Militar decretou a expulsão da corporação de um tenente pelo transporte de 33 quilos de cocaína numa aeronave da Força Aérea que se dirigia à França, com escala em Palmas de Gran Canaria”.

A publicação espanhola lembra ainda que “outros dois colegas do tenente já haviam perdido o cargo por sua participação no caso”. Os fatos aconteceram em 1999 e o comandante foi condenado a 16 anos de prisão por integrar uma ‘rede especializada no tráfico internacional de cocaína’ servindo-se dos aviões da Força Aérea”.

Caso de de militar da comitiva de Bolsonaro preso com cocaína cai como bomba na mídia europeia. Foto: Reprodução

O francês Le Figaro diz que um porta-voz informou à agência de notícias francesa AFP que o militar “foi conduzido quarta-feira a um tribunal, acusado de violação à saúde pública, categoria que compreende o tráfico de drogas na Espanha”. E observa que o mesmo porta-voz relatou que na mala do militar “só tinha droga”.

Caso de de militar da comitiva de Bolsonaro preso com cocaína cai como bomba na mídia europeia. Foto: Reprodução
Caso de de militar da comitiva de Bolsonaro preso com cocaína cai como bomba na mídia europeia. Foto: Reprodução

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!