Cervejaria que vende lata a 40 reais transforma rosto de mulher escravizada em marketing sobre ‘miscigenação’

A colorista digital especializada em adicionar cores a fotografias históricas em preto e branco, Marina Amaral, denunciou em seu Twitter o uso de uma foto de uma mulher escravizada, pela cervejaria Dogma, para estampar um de seus produtos.

O motivo, segundo a descrição da empresa na cerveja, seria uma jogada de marketing, para ‘refletir a miscigenação brasileira em sua receita assim como os cafuzos resultaram da mistura entre índios e negros, nossa cerveja nasce da mistura entre uma Imperial India Pale Ale com maltes escuros de uma Stout’.

A imagem utilizada foi um retrato feito por Alberto Henschel, diante de uma escrava.

Após a viralização da imagem, a cervejaria afirmou que lamenta o erro, e se prontificou a retirar o produto de circulação.

 

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!