Chega ao fim uma noite que durou 580 dias. Por Carlos Fernandes

 

 

Lula agora nos braços do povo (Imagem: reprodução)

Quando o ex-presidente Lula se entregou à Polícia Federal na noite de 7 de abril de 2018, dava-se início a mais um período conturbado da nossa história.

Naquele momento materializava-se o objetivo-fim de uma das maiores farsas judiciais já montadas em todo o período democrático brasileiro.

Lula, o ex-metalúrgico que por duas vezes chegou à presidência da República, finalmente estava preso numa caçada que a bem da verdade já durava décadas.

Muito menos pela prisão ilegal de um acusado, o grande crime que o Estado a serviço do poder econômico ali praticava era o de encarcerar a ideia de um Brasil mais justo e solidário.

Indisfarçadamente, o que a elite brasileira e sua canina e subserviente classe média comemoraram foi o que sonharam ser um trágico desfecho para a primeira grande experiência de um país soberano.

Naquele momento sabiam que não prendiam um homem.

Prendiam uma esperança de dignidade, respeito, inclusão, igualdade e justiça para todos aqueles que historicamente foram humilhados e excluídos.

Com Lula preso e uma vez impedido de participar das eleições que fatalmente ganharia, muito pouco faltava para que restasse enfim garantido o retorno definitivo de um projeto de poder secular com forte herança escravagista.

A ascensão de Jair Bolsonaro à presidência da República via indiscutível fraude eleitoral coroou de vez o espetáculo do absurdo que em cujo picadeiro central viu-se o presidente eleito pagar sua dívida com o juiz que prendeu seu principal adversário com uma pasta ministerial.

O Brasil voltou a ser a mixórdia que sempre foi.

Hoje, porém, com o completo restabelecimento de uma das mais importantes garantias individuais da Constituição cidadã de 1988, mais do que o fim de uma gritante injustiça, marca-se o que pode ser o princípio de um novo e vigoroso momento de luta e resistência frente aos enormes retrocessos que nos estão sendo impostos.

Com Lula finalmente livre, chega-se ao fim uma noite que durou 580 dias.

Que a sua liberdade seja de uma só vez um farol e um poderoso instrumento de guerra.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!