Cid Gomes errou? E daí? Por Mario Marona

Publicado no Facebook do autor

Cid Gomes é baleado no peito por policial

POR MARIO MARONA

Reproduzo aqui, porque gostaria que lessem, um comentário editado que fiz em outro post:

Este argumento de que o Cid errou e de que os disparos contra ele foram reação natural a uma agressão que ele cometeu começa a fazer lembrar daquele outro argumento que diz que a moça estuprada estava usando minissaia, tinha bebido e se insinuava sexualmente. É alegação de estuprador.

Independentemente do descontrole do senador, há questões que estão acima disso e de tudo o mais:

1) policial e militar não podem fazer greve porque deixam a população em situação de completo abandono e insegurança física.

2) Ninguém pode fazer greve com arma na cintura.

3) Grevistas armados e mascarados – e que usam as armas para intimidar a população, ou, pior, atiram contra quem quer que seja, não são grevistas, são bandidos.

4) Não podemos nos acostumar com a ideia de que, em vez de recuar, xingar, protestar e, em seguida, processar um senador que cometeu uma agressão – como faria qualquer grevista ou manifestante no mundo – é aceitável disparar vários tiros contra ele, para matar.

Quem aceita esta reação contra um senador intempestivo, rende-se ao discurso de Bolsonaro, dos filhos de Bolsonaro, dos Helenos que assessoram Bolsonaro.

SE FOR ASSIM, A CIVILIZAÇÃO NÃO TERÁ MAIS CHANCE ALGUMA.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!