Ciro reclama de ter sido esquecido por editorial do Estadão comparando Bolsonaro a Lula

Ciro ataca Lula. Foto: Reprodução

Um editorial do Estadão reeditando o infame ‘Uma escolha difícil’, de 2018, bombou nas redes nesta sexta.

Desta vez, o jornal traça um ‘Cenário sombrio’ com a possibilidade cada vez mais evidente de um segundo turno entre Lula e Bolsonaro em 2022.

Até aí, tudo ok. Do Estadão não dá para esperar nada diferente disso.

O que chamou a atenção foi Ciro, que aparece com 1 (um) dígito nas pesquisas de opinião.

Não, Ciro não condenou o editorialista por comparar Haddad, e agora Lula, a um genocida como Bolsonaro.

Pelo contrário. Ele disse que o texto “está certo em muitas coisas”, com uma ressalva: desconsidera a chance “inquestionável e concreta de que haverá um candidato que salvará o Brasil da trágica opção de ter que escolher entre Lula e Bolsonaro”.

Moral da história: Ciro sonha ser o “candidato que salvará o Brasil”.

Então, tá.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!