Citada por Heinze como sucesso na CPI, Porto Feliz teve aumento de mortes por covid

Luis Carlos Heinze. Foto: Reprodução/Twitter

O senador Luis Carlos Heinze, conhecido como “Rancho Queimado” por suas mentiras na CPI da Covid, afirmou nesta sexta (11) que Porto Feliz (SP) é um exemplo do sucesso da cloroquina ou do “tratamento precoce” contra o novo coronavírus.

LEIA – “Rancho Queimado” explode nas redes com Heinze sendo criticado por Pasternak

Disse isso enquanto era detonado pelas críticas diretas da divulgadora científica Natalia Pasternak.

LEIA MAIS – Citada por bolsonaristas na CPI, Rancho Queimado é um fracasso total no combate à covid-19

Uma matéria da Veja de 24 de março de 2021 mostra o grau de mentira de Heinze.

Confira alguns trechos:

“Citada principalmente pelos bolsonaristas com frequência nas redes sociais como exemplo de localidade onde o uso do chamado ‘tratamento precoce’ contra a Covid-19 alcançou resultados positivos, o município de Porto Feliz, na região de Sorocaba, interior de São Paulo, registrou mais mortes em razão da doença neste primeiro trimestre do que em todo o ano passado.

A cidade teve até agora 47 mortos pelo novo coronavírus e 5.221 pessoas contaminadas. Segundo boletins epidemiológicos da prefeitura, mais da metade desses registros ocorreram neste ano: foram 24 mortes e 2.939 casos registrados até esta quarta-feira, 23.

A apologia ao tratamento precoce virou uma das principais bandeiras do presidente Jair Bolsonaro, que voltou a defender a medida em pronunciamento na manhã desta quarta-feira, após reunião com governadores, ministros e os presidentes do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Nas redes sociais, defensores do tratamento precoce passaram a citar Porto Feliz como um exemplo no combate à Covid-19. Mas o município, além de ter registrado mais mortes e casos em 2021 do que em todo o ano passado, também tem o seu sistema de saúde atuando perto do limite — 11 dos 14 leitos de UTI para Covid-19 estavam ocupados nesta quarta-feira.

O prefeito Cássio Prado (PTB), que é médico, passou a adotar o kit Covid-19 — que consiste no uso de medicamentos como hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina, todos sem eficácia comprovada contra a doença — no final de março do ano passado, ainda no início da pandemia e antes de o Ministério da Saúde indicar o tratamento precoce para casos leves, em maio.

A informação que circula nas redes sociais de que cidade teria tratado precocemente toda a população é falsa”.

E o texto da Veja completa:

“Nos últimos quatorze dias, a taxa de casos por 100 mil habitantes em Porto Feliz foi de 827,9, muito acima da média do estado de São Paulo no mesmo período, que foi de 443,3 — o índice de letalidade, no entanto, é de 1%, inferior à média estadual (2,9%)”.

Heinze, portanto, mentiu. Novamente.