CNMP pune Deltan Dallagnol por tuítes contra Renan Calheiros

Deltan Dallagnol

O CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) decidiu punir nesta terça-feira (8) o ex-coordenador da Força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, por tentar interferir na eleição da presidência do Senado em 2018 com tuítes contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL), então candidato.

Na época, Deltan fez publicações em suas redes sociais afirmando que a pauta anticorrupção não avançaria caso Renan fosse eleito.

A denúncia foi feita pelo próprio senador e o julgamento havia sido suspenso depois da decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), pelo ministro Celso de Mello.

Na última sexta-feira (4), porém, o ministro Gilmar Mendes suspendeu a decisão que impedia o julgamento.

O colegiado já formou maioria de votos para a aplicação de pena de censura contra Dallagnol.

“(Deltan) sentiu-se no direito de interferir nas eleições pra presidente do Senado. Não eram meras manifestações de apreço ou desapreço. Ele foi além: incentivou uma campanha contra o sistema de votação”, afirmou o conselheiro Otavio Rodrigues, relator do processo.

Acompanhe o final da votação:

PS: O julgamento no CNMP terminou há pouco, com o placar de 9 a 1 pela aplicação de censura contra Deltan Dallagnol. O resultado pode interferir em julgamento futuros, e agravar penas. Há outras representações no CNMP contra o ex-coordenador da Lava Jato, como a que foi apresentada pela senadora Kátia Abreu a respeito da tentativa de usar recursos da Petrobras para criar uma fundação em Curitiba.