Coletivo de Mulheres Indígenas Suraras do Tapajós escreve nota em apoio a Brigada de Alter

Suraras dos Tapajós. Foto: Reprodução

 

Publicado originalmente pelo Mídia Ninja:

Nesta terça-feira, 4 integrantes da Brigada de Alter, grupo independente que atua voluntariamente em prol da proteção da floresta e das comunidades de Alter do Chão, em Santarém, no Pará, foram presos sob acusação de incêndio criminoso pela operação da Polícia Civil chamada “Fogo do Sairé”. O coletivo esteve no combate ao fogo que atingiu o balneário e a área de proteção ambiental de Alter do Chão, local que vive disputas em torno de uma legislação que permitiria a construção até de edifícios nas margens do rio Tapajós, pressão imobiliária e devastação da APA.

A grande mídia noticiou com alarde as prisões, ainda sem provas, e diversos grupos se manifestaram a favor da Brigada.

O coletivo de mulheres indígenas Suraras do Tapajós escreveu uma nota de apoio ao coletivo. Leia na íntegra.

Nota do Coletivo de Mulheres Indígenas Suraras do Tapajós em apoio a Brigada de Alter

O Coletivo de Mulheres Indígenas Suraras do Tapajós, manifesta apoio a Brigada de Alter e aos brigadistas que foram presos e acusados arbitrariamente de serem responsáveis pelos incêndios na Área de Proteção Ambiental (APA- Alter do Chão). Conhecemos o comprometimento dessas pessoas com causas socioambientais, o que estamos presenciando é uma tentativa de manipulação da opinião pública para desmoralizar as ONGs e movimentos sociais. Até nós indígenas fomos acusados de forma caluniosa, de ter responsabilidade sobre as queimadas da Amazônia.

Alter do Chão é um local de grande especulação imobiliária, invasão e grilagem de terras e estamos presenciando a inversão dos fatos, na tentativa de incriminar pessoas inocentes desviando a atenção das verdadeiras questões que estão em jogo e dos interesses por trás de desmoralizar as ONGs e movimentos sociais.

Infelizmente os meios de comunicação e a sociedade em geral por meio das redes sociais vem disseminando informações equivocadas, acusações não comprovadas, e distorções dos fatos, contribuindo para incriminar de forma injusta os membros da Brigada, que prestam importante serviço para a região.

Nós seremos a resistência somando nossas vozes às vozes de outros que assim como nós clamam por justiça imparcial nesse país.

SURARAS DO TAPAJÓS

Coletivo de Mulheres Indígenas Suraras do Tapajós

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!