Com a PM tocando o terror nos estados, Claudia Leitte se fantasia de policial para cantar em Salvador

Com o tema idiota “We can do It”, Claudia Leitte estreou no Carnaval de Salvador homenageando a Guarda Civil Municipal soteropolitana no último dia 20.

Chegou em moto escoltada por policiais.

“São mulheres que enfrentam todos os dias a violência e muitas vezes arriscam a própria vida para garantir a segurança de outras mulheres e da população em geral”, disse ela, por meio de um áudio que ecoava do trio para a pipoca (trio sem cordas), do circuito Barra-Ondina.

Claudia ainda enalteceu o Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária, Polícia Ferroviária, Polícia do Exército e Polícia Legislativa.

Em tese, ela está saudando o contingente feminino — que, aliás, não impede que a porrada impere. Muito pelo contrário.

O timing da coisa é revelador.

Num momento em que essas corporações tocam o terror no Ceará e outros estados, batendo recorde de assassinatos de pobres e pretos, a artista avisa de que lado está.

Na Bahia de Cláudia, viu-se a condução criminosamente suspeita do caso Adriano, com sua queima de arquivo.

A GCM é conhecida por espancar, sobretudo, ambulantes em Salvador. Não só, claro.

A boa notícia é que ela saiu do armário. Não precisou gritar “mito”.

Para uma alegoria honesta da soldadesca do Brasil de Bolsonaro, melhor ficar com a Tom Maior, de São Paulo:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!