“Com essa imagem de pé de cana e de farinheiro?”

Entrevista com o senador AŽcio Neves (PSDB)

Em geral, ver a seção de comentários dos portais brasileiros é uma experiência para masoquistas.

É uma boçalidade torrencial, exuberante, universal. E não há ninguém que modere, ao contrário do que acontece em grandes sites mundiais, como a BBC. Quase todos os comentários são de pessoas arquirreacionárias, analfabetas políticas que regurgitam o que lêem ou ouvem na mídia.

Uma das melhores definições sobre Lobão veio disso, e apareceu no Twitter depois do Roda Viva com o neo-olavete: “O Lobão parece um comentário do G1 que fala.”

Clap, clap, clap.

Mas.

Mas, por vezes, aparece uma pérola na lama infinita.

Numa reportagem do site da Folha sobre o apelo de Aécio para que os brasileiros “decentes” o ajudem a subir a rampa do Planalto, um leitor colocou o seguinte comentário: “Com essa imagem de pé de cana e de farinheiro?”

Sou forçado a um novo clap, clap, clap.

Todos os livros que FHC leu não o fizeram ver a obviedade apontada pelo leitor da Folha com uma sentença de dez palavras.

A desconexão do PSDB com a voz rouca das ruas é tão grande que Aécio tentará o Planalto mesmo com uma vulnerabilidade de imagem tão devastadora.

Se FHC frequentasse o povo, fatalmente teria ouvido de alguém a observação justa, precisa, irretorquível diante da ideia que o tomou de que é a “hora do Aécio”: “Com essa imagem de pé de cana e de farinheiro?”

Mas FHC não frequenta o povo.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!