Com UTIs lotadas e Saúde beirando colapso, SC autoriza volta às aulas; docentes anunciam greve

Publicado originalmente no Brasil de Fato

Por Nara Lacerda

Balneário Camboriú, litoral norte de Santa Catarina, é uma das praias que mais registra aglomeração em meio à pandemia – Reprodução / Twitter

O governo de Santa Catarina autorizou o retorno às aulas presenciais com 100% da capacidade das salas para esta quinta-feira (18). A decisão passa a valer em meio à falta de unidades de terapia intensiva (UTIs) no Oeste do estado, com registro de rede hospitalar totalmente lotada.

Diante do decreto, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina, anunciou que vai iniciar uma greve no mesmo dia marcado para a volta às escolas. A categoria quer que o governo reveja a medida.

Em nota, a Secretária de Educação do estado disse que vai manter o calendário letivo. No texto, a pasta afirma que o movimento grevista é “radical”, “não representa a vontade da maioria dos trabalhadores” e será questionado na justiça, “caso necessário”.

No limite

No domingo passado (14), a ocupação de leitos adultos chegou a 100% na região Oeste. O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), foi à internet para informar que o município estava em estágio de colapso.

“Estamos em estágio de colapso, não é mais quase, é colapso. Se você tiver um milhão de reais no bolso agora e precisar internar a sua esposa numa UTI em Chapecó, não vai ter lugar”,  alertou ele.

Com os números altos, a prefeitura da cidade, polo da região, já anunciou que as aulas estão canceladas. Mas a decisão do governo para o estado autoriza que até mesmo municípios com risco alto de propagação voltarem à normalidade nas aulas.

A taxa de ocupação de UTIs de todo o estado é de 81%. Há duas semanas, esse índice estava abaixo de 75%. Há outras regiões, além do Oeste catarinense, em situação preocupante. Na grande Florianópolis havia menos de 20 leitos disponíveis nesta terça-feira (16).

Dois hospitais públicos da capital estão com UTIs lotadas, o Hospital Nereu Ramos e a Maternidade Carmela Dutra. Em outras três unidades havia apenas uma vaga nesta terça (16), Hospital de Caridade, Hospital Florianópolis e Hospital Governador Celso Ramos.

Na semana passada, a nova cepa do coronavírus, com origem no Amazonas foi identificada em Santa Catarina. A variante é três vezes mais contagiosa, segundo o Ministério da Saúde. A volta às aulas pode representar terreno fértil para o espalhamento e piorar a situação do estado muito rapidamente.

Durante coletiva de imprensa na segunda-feira (15) em Chapecó o secretário estadual de Saúde, André Motta Ribeiro, anunciou a ampliação da oferta de leitos de UTI e e atuação conjunta com os municípios do Oeste do estado.

A Secretaria de Saúde afirmou em nota que uma operação de transferência de pacientes vem sendo realizada para aliviar as taxas de ocupação na região. “Apenas em fevereiro, 54 pacientes que necessitavam de leitos de UTI Covid foram transferidos de hospitais do Oeste para outras regiões do estado”, diz o texto que afirma que o governo estadual. ampliou 80 leitos de terapia intensiva para a região do Oeste catarinense.

“A SES vem cobrando a reativação de quase 100 leitos que foram desativados, alguns deles nos municípios mais afetados pela pandemia neste momento no Oeste”, diz a nota.

Edição: Leandro Melito

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!