Como ‘Baile de Favela’ virou a trilha sonora da medalha de Rebeca Andrade

Rebeca Andrade é medalha de prata nos Jogos Olímpicos

A ginasta Rebeca Andrade fez história ao se apresentar nos Jogos Olímpicos de Tóquio ao som de ‘Baile de Favela’, de MC João.

A canção de 2015 marcou a expansão do funk em São Paulo. Com um refrão impossível de tirar da cabeça, a letra faz uma homenagem aos principais fluxos da periferia paulista.

Partiu do coreógrafo da seleção brasileira, Rhony Ferreira, a ideia de incluir a música no solo de Rebeca, em 2016.

“Achei sensacional e via como aquela plateia toda batia a palma junto, cantava. Pensei: ‘Que bacana para a gente usar um dia justamente para levantar a galera, né?’. Fiquei com essa cartinha na manga”, disse Ferreira ao G1.

Rhony Ferreira e Rebeca Andrade no dia em que a atleta ouviu a música do solo, com ‘Baile de Favela’, pela 1ª vez — Foto: Acervo pessoal/Rhony Ferreira

Ele contou sobre o dia em que mostrou para Rebeca a música, que ganhou uma nova versão mesclada com ‘Tocata e Fuga’, do compositor clássico Johann Sebastian Bach.

“Quando começou o ‘Tocata e Fuga’, ela já me olhou com o olho arregalado e disse ‘Nossa, não vou conseguir fazer, é muito forte’. Quando começou a tocar o ‘Baile de Favela’, ela abriu um sorrisão e já começou a dançar com o fone no ouvido”.

Nesta quinta-feira (29), a ginasta se tornou a primeira brasileira a conquistar uma medalha na ginástica artística dos Jogos Olímpicos, após mais uma bela apresentação com a mesma trilha sonora.

É a periferia do Brasil no mundo.