Como o jogo brasileiro Horizon Chase Turbo foi destaque mundial da Apple e agora chegou ao PS4. Por Zambarda

Horizon Chase Turbo é um jogo brasileiro que chega na plataforma PlayStation. Foto: Divulgação

O estúdio gaúcho Aquiris é localizado próximo da PUCRS, no antigo espaço da Ubisoft Brasil. Embora a cena brasileira de games seja composta por cerca de 300 empresas, sendo a maioria delas médias e pequenas, a companhia de Porto Alegre joga como gente grande.

Com 70 funcionários e um faturamento estimado em R$ 10 milhões, Aquiris Game Studio desenvolveu games brasileiros para grandes marcas, como Cartoon Network. Eles completaram 10 anos de história em 2017 e a vida dos desenvolvedores da empresa mudou de vez dois anos antes.

Em março de 2015, um demo chamado Retro-Racers foi lançado na internet e ganhou as atenções do público. Inspirado em clássicos de videogames como Top Gear, do Super Nintendo, o time de desenvolvimento brasileiro conseguiu que o escocês Barry Leitch participasse da criação do game.

Leitch fez o som do Top Gear original de 1992, que fez um sucesso notável no Brasil se comparado com outros países.

Retro-Racers tornou-se Horizon Chase e fez sucesso assim que foi lançado como game de corrida para celulares/tablets Android e iOS (Apple) em 20 de agosto de 2015. Trouxe uma mecânica simples de acelerar, frear e utilizar turbos, mesclando gráficos bem polidos dos automóveis (que lembram carros esportivos reais) e cenários menos carregados.

A experiência resultou num game rápido de carregar na maioria dos aparelhos disponíveis. Um jogo de alta qualidade para ser apreciado com rapidez.

Pelo trabalho feito com alta qualidade, veio o reconhecimento.

O título tornou-se um dos destaques do site Touch Arcade em 2015, além de ter sido escolha dos editores da loja da Apple no mesmo ano.

Horizon Chase original foi premiado no BIG. Foto: Pedro Zambarda/Drops de Jogos

No Brazil’s Independent Games Festival 2016 (BIG), evento nacional e terceiro maior indie do mundo, Horizon foi o primeiro estúdio do nosso país a receber a premiação máxima internacional de Jogo do Ano. O game brasileiro também foi exibido em feiras internacionais como a GDC (maior de desenvolvimento do mundo, nos Estados Unidos) e a Gamescom (maior da Europa, na Alemanha).

Custando pouco mais de R$ 10, Horizon Chase foi baixado mais de 10 milhões de vezes e tornou-se um dos primeiros jogos brasileiros a ser bem-sucedido comercialmente trazendo uma ideia original. Embora revisite o clássico Top Gear, a temática das pistas, que passam inclusive pelo Brasil, são inéditas.

Horizon Chase Turbo está disponível em caixinha. Foto: Divulgação

Não bastasse tantos reconhecimentos, Aquiris resolveu dar um passo além. Em maio de 2018 lançou Horizon Chase Turbo para PC e PlayStation 4. Uma versão para Nintendo Switch, novíssimo aparelho da gigante japonesa, foi confirmada para o terceiro trimestre deste ano, além do Xbox One da Microsoft.

O jogo brasileiro, no entanto, chega para PS4 por apenas R$ 50 numa cópia física em parceria com a Sony. Sem custos abusivos de impostos e da própria importação, o game chega por um preço muito mais palatável do que os lançamentos de R$ 250. O game, diferente das versões para celulares e tablets, também permite competições de até quatro jogadores simultaneamente na mesma tela.

O título foge da lógica que era mais comum do mercado brasileiro, que, num passado recente, apostava mais em games corporativos e para a publicidade. Nosso mercado caminha para uma produção mais direcionada ao entretenimento e com títulos originais, como é o caso de Toren, Chroma Squad, Rocket Fist, Relic Hunters e outros.

Nova versão de Horizon Chase valoriza o multijogador. Foto: Divulgação

A trajetória de sucesso, tanto do Horizon Chase original quanto sua versão Turbo lançada agora, é uma combinação de nostalgia com games antigos do brasileiro e do consumidor global aliada a uma ideia simples e bem desenvolvida. É um jogo de corrida tão divertido quanto Mario Kart.

Só que, ao invés do encanador bigodudo japonês, pilota-se carros que foram desenvolvidos por brasileiros como eu e você.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!