“Como seria se o governo Bolsonaro administrasse o Canal de Suez?”, ironiza advogado

Reprodução

Nesta sexta-feira (26), o advogado Bruno Salles foi às redes sociais mostrar como seria e o governo Bolsonaro administrasse o Canal de Suez.

Confira abaixo na íntegra:

1. Bolsonaro: “Eu pescava muito em Angra. Conheço tudo de barco. Esses barcos encalham mesmo. Fazer o que? Lamento. Nós temos rodovias. O que não pode é ficar tudo parado por causa de um barco. Não dá para ir de barco, vai a pé”

2. Paulo Guedes: “O problema é que no Governo PT eles deixaram assorear muito o canal. São 30 anos de detritos. Nós lançamos uma reforma para triplicar o canal e tirar 20 trilhões de toneladas de lama. Mas, infelizmente, o Congresso não nos deixa trabalhar”.

3. Ernesto Araújo: “Isso é resultado do globalismo comunista mundial que quer mandar mercadorias para o mudo inteiro. Os outros países precisam entender que o Brasil mudou. Que somos patriotas e o povo quer o canal assim”.

4. General Heleno: “Não tem problema nenhum com o canal. O Presidente agiu certo em não fazer nada. O Exército é uma instituição respeitável e qualquer ameaça de intervenção será vista com ressalvas”.

5. André Mendonça: “Nós estamos tomando providências cabíveis para o devido enquadramento legal, com base na lei de segurança nacional, de todos que falarem que o problema no canal é assunto do presidente”.

6. Tarcísio: “Para desencalhar o navio de forma rápida precisamos de uma equipe multidisciplinar, esforços logísticos e de engenharia que demandam investimento maciço e emergencial. Mas a proposta do Governo de não fazer nada é boa também”.

7. Marcos Pontes: “Eu posso garantir que o canal de Suez existe, pois o vi com meus próprios olhos quando orbitei a terra”.

8. Salles: “Tem que aproveitar agora que tá todo mundo olhando para coisa do canal e passar a boiada na flexibilização das leis ambientais. Essa coisa de navio encalhado é culpa desse monte de regra ambiental que não deixa o navio fluir”.

9. Rodrigo Maia (em nota): “Repudio veementemente o encalhamento do navio do canal de Suez. O Brasil não pode mais conviver com isso”.

10. Arthur Lira: “Temos um grupo de empresário interessados em cuidar dos assuntos do canal. Será bom para o Brasil e para o empresariado”.

11. Fux: “Ante o exposto, concedo a medida em tutela liminar, para determinar a imediata remoção do navio, se possível e, se não, que seja apresentado um plano de remoção em até 3 meses”.

12. General Mourão: “Olha, essa coisa no navio ai, eu não vi direito, a imprensa fala muito. De meu lado, eu digo que eu retiraria o navio. Mas isso é o que eu acho. É minha opinião. Mas o Presidente é o Bolsonaro. Então…”

13. Damares: “Essa doutrinação ideológica é que faz isso. Veja se é possível. Mostrar na TV, crianças vendo. Um navio entrando num canal! O que as pessoas vão pensar?”