Confiavam que alguém, com apenas dois tiros, mataria Adriano da Nóbrega. Por Moisés Mendes

Adriano da Nóbrega

Publicado originalmente pelo Blog do autor:

POR MOISÉS MENDES

Vão surgindo aos poucos algumas informações esparsas sobre a morte do miliciano. Um detalhe comprova que o assassinato foi coisa de profissionais, e não de pistoleiros que gastam munição à vontade em execuções cinematográficas.

Imaginavam que Adriano da Nóbrega tivesse sido morto com uma saraivada de balas de metralhadora e que seu corpo tenha sido todo furado.

Nada disso. O homem tombou e morreu ali mesmo com apenas dois tiros certeiros do Bope baiano.

Por que não cercaram o sítio e esgotaram todas as possibilidades de negociação e rendição, mesmo que o miliciano possa ter reagido antes?

Porque confiavam que alguém, com apenas dois tiros, faria o serviço. Só dois tiros. Fácil como num videogame.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!