Conheça o novo Xbox

Três meses após o anúncio do PlayStation 4, a Microsoft apresentou seu novo console: o Xbox One.

xbox one
O Kinect deixou de ser um acessório e tornou-se uma parte integrada do videogame

Ontem à tarde, aconteceu o Xbox Reveal, evento em que a Microsoft apresentou seu novo videogame. Não, seu nome não é Xbox 720, mas Xbox One e as novidades apresentadas são bem interessantes.

O ponto forte do console é o conceito que a Microsoft deu a ele: all in one (em português literal, “tudo em um”). Como o próprio nome propõe, o videogame tem a proposta de agregar em si todas as opções de lazer que uma sala de estar atual pede. Portanto, além de se divertir com os jogos, você terá acesso à internet, aos canais on demand (Netflix, Hulu e etc.) e a tv à cabo (o cabo da TV por assinatura é plugado ao videogame e ele gerenciará as imagens que aparecerão na tela). Isso mostra que a Microsoft não que só fazer mais um videogame, mas uma central de entretenimento da sua sala de estar.

Como não poderia ser diferente, o Kinect sofreu grandes alterações. Seu design ganhou linhas retas e o aparelho foi agraciado com um upgrade nos receptores e sensores de áudio e vídeo: agora sua câmera capta imagens em 1080p. Como no 360, ele é o mediador entre o usuário e o videogame, mas o sistema de reconhecimento de voz está mais ampliado quanto ao vocabulário e mais detalhado quanto à qualidade da conversação (ele é capaz de saber quem está se comunicando e logar diretamente na conta da pessoa). O Kinect deixou de ser apenas um acessório que deve ser comprado separadamente. Agora ele virá na mesma embalagem do console e, portanto, estará incluso no preço do produto.

O poder de processamento do novo Xbox é coordenado por uma CPU da AMD com 8 núcleos e os gráficos são geradas por uma GPU feita sob medida para o DirectX 11.1. A Microsoft também promete que as ventoinhas serão 4 vezes mais silenciosas do que as do 360. O videogame possuí 8GB de RAM DDR3. Com esses recursos será possível exibir imagens em 1080p e 4K. O console ainda conta com um HD de 500GB e um drive que lê Blu-Ray.

Uma coisa não me agradou: a forma em que o usuário vai interagir com a mídia. No momento em que você colocar um jogo no Xbox One, ele automaticamente será linkado na sua conta, além de ter todo o seu conteúdo copiado para o HD. Com isso, a venda e o repasse de jogos ficam mais limitados, pois o novo usuário do jogo terá que pagar uma taxa (ainda não definida) para usufruir do produto. E, para piorar, os jogos do 360 não são compatíveis com o One. Então nada de vender seu videogame antigo para comprar o novo.

Ao contrário do Kinect, o controle não teve alteração significativas. Pelo que foi anunciado, tanto o design quanto a funcionalidade são bem parecidos com os do equipamento antecessor.

Alguns jogos foram apresentados no Xbox Reveal. São eles: Madden 25, Fifa 14, NBA Live 14, o novo UFC, Forza Motorsport 5, uma nova franquia chamada de Quantum Break e o novo Call of Duty: Ghosts (que teve um bom espaço do evento reservado para sua apresentação).

Uma das grandes surpresas do Xbox Reveal foi o anúncio da série de TV Halo, que será baseada no game da Microsoft. Ao contrário do que alguns poderiam pensar, a série não será uma animação, mas live action. O que ninguém esperava é que a produção executiva ficaria por conta de Steven Spielberg.

O Xbox One não tem preço e nem data definida para lançamento, assim como seu maior concorrente, o PlayStation 4. Daqui a 19 dias começará a E3 e então teremos mais informações sobre os novos consoles da Microsoft e da Sony.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!

Compartilhar
Artigo anteriorTrabalho mata
Próximo artigoClarice Falcão é a namoradinha hipster do Brasil
Avatar
Nosso applemaníaco Pedro Cohn assiste aos eventos de tecnologia como se fossem a final da Copa do Mundo. E diz que, se o Céu não for Wi-Fi, prefere ir para o inferno quando morrer.