Covas mentiu sobre estabilidade da pandemia: mortes por covid-19 crescem há três semanas

Covas

Publicado originalmente na Rede Brasil Atual:

Por Rodrigo Gomes

Ao contrário do discurso de “estabilidade” do prefeito e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), a capital paulista registra aumento no número de mortes por covid-19 há três semanas. Na variação de sete dias, comparação entre as mortes ocorridas em uma semana com a semana anterior, a cidade registrou um crescimento de 24,5% nos óbitos nesse período, segundo o Boletim Diário Covid-19, publicado pela Secretaria Municipal da Saúde. Foram 122 mortes na última semana (11 a 17/11), 110 na semana anterior (4 a 10/11), 106 na semana de 28 de outubro a 4 de novembro e 98 entre os dias 21 e 27 de outubro.

Os números contradizem a afirmação de Covas em coletiva na última quinta-feira (18). “Estamos em um momento de estabilidade da pandemia na cidade de São Paulo. Há uma estabilidade em relação ao número de casos na cidade de São Paulo, uma estabilidade em relação número de óbitos na cidade de São Paulo, mas há uma variação positiva na taxa de ocupação dos leitos de UTI covid-19”, afirmou o prefeito. Covas também disse que “não há nenhuma necessidade de retroceder na flexibilização (da quarentena)”. No último debate antes do primeiro turno da eleição municipal, ele disse que a piora na pandemia era “fake news”.

Além do aumento nas mortes, houve um agravamento da situação nos hospitais. A ocupação de UTI cresceu 53% na última semana. A ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com covid-19 saltou de 33%, em 11 de novembro, para 50% ontem (20). No caso das enfermarias, a ocupação já é de 61%. Na rede privada, a ocupação chegou a 76% na quinta-feira (18). A cidade tem 859 pessoas internadas, sendo 482 em UTI. O maior número em semanas.

Mortes por covid-19 no estado

Os novos casos e as mortes causadas pela covid-19 também cresceram em todo o estado de São Paulo na última semana, em relação à semana anterior. Foram 872 mortes na semana dos dias 13 a 19 de novembro, contra 485 na semana anterior. O que corresponde a um aumento de 80%. Já o registro de novos casos foi de 34.638, do dia 13 ao dia 19, e de 30.716 nos sete dias anteriores. Um aumento de 13%.

No entanto, apenas pessoas que procuram unidades de saúde e têm resultado positivo no teste para detectar a infecção pelo novo coronavírus são contabilizadas, o que indica que o número de novos casos deve ser muito maior.

O aumento de casos de covid-19 também atinge a capital e a Região Metropolitana de São Paulo. Segundo os dados do Boletim Coronavírus, organizado pela Fundação Seade, a cidade registra um aumento de 37,6% nos casos, nos últimos 30 dias. Na Grande São Paulo, o aumento de casos foi de 26%, nos últimos 30 dias. Na variação mensal, os dados ainda não indicam aumento de mortes na cidade e na região.

Além desse aumento de casos e mortes causadas pela covid-19, o número de pessoas internadas por conta da doença também vem crescendo. A taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no estado de São Paulo cresceu de 39,4%, no dia 5 de novembro, para 45,6%, hoje (21). Na Grande São Paulo, a taxa subiu de 42,3% para 53,2%. O número total de pacientes internados com covid-19 subiu de 6.901, no dia 5, para 8.887, ontem. Já são 15 dias seguidos de aumento nas internações.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!