Damares troca Tia Eron por ex-deputada evangélica que quis proibir adolescentes de discutir masturbação

Rosinha da Adefal vai substituir Tia Eron no ministério de Damares

Em queda livre, Damares Alves demitiu a secretária nacional de Políticas para Mulheres, a ex-deputada federal Tia Eron, do PRB da Bahia.

Da bancada evangélica, Eron é uma daquelas tranqueiras que ganharam fama com o golpe de 2016.

Apoiou o impeachment, mas deu o voto de minerva na decisão do Conselho de Ética que pediu a cassação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha.

Não se reelegeu.

Em seu lugar no Ministério da Mulher e Direitos Humanos entra a também ex-deputada Rosinha da Adefal (Avante-AL), hoje secretária-adjunta.

No ano passado, Rosinha tentou emplacar uma excrescência chamada “Lei sem Pornografia”.

O projeto apresentava uma série de medidas que visavam “respeitar a dignidade de crianças e adolescentes”.

Proibia professores e agentes de saúde de discutirem e apresentarem questões de sexualidade “adulta”.

Para ela, era “impróprio ou complexo” abordar, por exemplo, o tema da masturbação. Para isso, seria preciso consultar os pais ou responsáveis.

Servidores públicos que não respeitassem os “direitos da família” e violassem os “direitos infanto-juvenis” teriam desconto no salário. 

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!