“Breaking Bad” e a arte de fazer você esperar UM ANO pelo próximo capítulo. Sim, um ano

Peço desculpas por voltar ao tema, mas é preciso. Falo de Breaking Bad e de sua capacidade de criar dependência e fazer com que você fique um ano esperando por um novo episódio. Um ano. Explico melhor: o capítulo 8 da quinta temporada foi o último de 2012. Os outros oito, o final da série, só irão ao ar no meio de 2013.

Breaking Bad não é parecido com qualquer novela. Além da duração – quatro anos – e da qualidade da dramaturgia, da direção, dos atores, da fotografia etc, existe essa peculiaridade de deixar em suspenso os fãs por MESES A FIO. E eles ficarão na expectativa porque não lhes resta mais nada. Tudo por causa de Walter White e sua loucura.

Hank tem seu momento de Eureka no banheiro

Você já conhece a história que eu contei aqui. Walt, agora, está em maus lençois: seu cunhado Hank, chefe do Departamento de Narcóticos, folheava Flores na Relva, de Walt Whitman, enquanto fazia suas necessidades na privada. A dedicatória era a mesma que fora encontrada no livro com fórmulas químicas de Gale Boeticher, assassinado a mando de Walt. Ou seja, ele foi descoberto.

Que outra série terminaria com um dos protagonistas tendo um momento de Eureka no banheiro?

Nenhuma. O nome do episódio é Gliding Over All, tirado de um poema de Whitman:

(Gliding over all, through all,

Through Nature, Time, and Space,

As a ship on the waters advancing,

The voyage of the soul–not life alone,

Death, many deaths I’ll sing)

Dinheiro para dez vidas

O título pode ser traduzido como “Pairando Acima de Tudo”. Walt chegou ao apogeu. Ele construiu seu império. Ele mandou matar nove homens na prisão e destruiu todos os seus rivais. Sua mulher, Skyler, vê a montanha de dólares escondida numa garagem e diz que aquilo é dinheiro para dez vidas. E ele está, ao que parece, com câncer de novo.

Depois de se transformar em Darth Vader, Walter White e seu alter ego Heisenberg estão prontos para o duelo final com Hank, o mesmo Hank que o transformou em motivo de piada na frente do filho. “Eu acho que a sorte de Walt acabou”, disse o diretor e criador da série, Vince Gilligan. “Até ele, de certa maneira, ficou surpreso com suas atitudes. Foi longe demais”, Gilligan diz. “Ele finalmente cai em si e percebe que aquilo não é mais engraçado”.

O refrão preferido de Heisenberg é “tinha de ser feito”. Assim ele explica por que se livrou do ex-comparsa Mike Ehrmantraut, o pistoleiro mais cool desde Samuel L. Jackson em Pulp Fiction. Depois de tudo o que ele fez, você espera que Walter White pague, de alguma maneira, por matar uma criança.

Mas só saberá disso daqui a um ano. E essa é a diferença de Breaking Bad: quando chegar a hora, você estará lá, esperando que algo de extraordinário aconteça mais uma vez. Enquanto isso, vai rever alguns episódios, só para matar a saudade. Vício é vício.

Nos vemos no ano que vem