Deltan sai em defesa da delação de Sérgio Cabral para atacar Toffoli

Dallagnol – Reprodução

Publicado originalmente no Conjur:

O procurador da República de Curitiba Deltan Dallagnoll avançou hoje algumas casas no campeonato brasileiro da coragem. Deltan defendeu a falecida “delação” do ex-governador Sergio Cabral, condenado a 342 anos de prisão.

Para sustentar a validade da empulhação, ele diz que o trabalho (?) da Polícia Federal “foi embasado em emails, agendas, anotações…” — comentário que fez para atacar o ministro do STF, Dias Toffoli.

O procurador, quando foi acusado no Conselho Nacional do Ministério Público, insistiu exatamente em que e-mails, agendas, anotações (e, claro, mensagens trocadas pelo Telegram) não servem para embasar acusações, denúncias ou condenações.

Deltan atuou para adiar mais de 40 vezes o julgamento da Representação apresentada no CNMP sobre o seu célebre PowerPoint. Com ajuda de seus colegas, foi beneficiado pela prescrição.

Ele nega genericamente o conteúdo das mensagens que mostram a prática de diversas ilegalidades, após ter eliminado o conteúdo de aparelhos funcionais (celulares, notebooks e computadores do MPF) contendo o material que poderia esclarecer o caso. O campeonato para essa modalidade de coragem promete ir longe. Já o torneio da cara de pau, ele já ganhou.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!