Depois de dizer que coronavírus era invenção da imprensa, Xico Graziano conclama seguidores a lutar contra pandemia

Xico Graziano e seu amigo e líder FHC.Foto: Instituto FHC

Jair Bolsonaro não é o único estúpido que fez do coronavírus uma trincheira para travar luta ideológica diante do avanço da pandemia.

Há vários, muitos deles devem ter estimulado as manifestações de domingo. Mas vou usar aqui o exemplo de Xico Graziano, que retrata a decadência da pensamento tucano nos últimos anos.

Ele se apresenta como agrônomo, agroambientalista, escritor.

É tudo isso mesmo. E mais.

Foi deputado federal pelo PSDB duas vezes, secretário do Meio Ambiente e da Agricultura em São Paulo, e chefe de gabinete de Fernando Henrique Cardoso, para quem trabalhou também no instituto que leva o nome do ex-presidente.

Em outubro do ano passado, deixou o PSDB para apoiar Jair Bolsonaro. Explicou que sua decisão tinha motivo em especial: é um militante anti-PT.

A aproximação com o bolsonarismo tirou dele também a capacidade de racionar com equilíbrio.

Fazendo coro a Jair Bolsonaro, atacou a imprensa por conta do coronavírus.

“Fiquem tranquilos. Epidemia do coronavírus é invenção do jornalismo catastrófico. Foi assim com a gripe aviária e outras, que matariam milhões. Não vivemos mais na época da peste negra. Precisamos acreditar na MEDICINA, no poder do conhecimento científico. Igual na AGRONOMIA”, escreveu.

Criticado, manteve o escrito.

“Jornalistas e ativistas catastróficos adoram apavorar cidadãos. Vale para as epidemias humanas como para problemas ecológicos. Volta e meia anunciam barbaridades que nunca, felizmente, tornam-se realidade; depois, desaparecem do noticiário. (…) Não, a lepra não interessa aos especuladores financeiros nem aos vendedores de maldade. O negócio da vez se chama coronavírus”, destacou em artigo publicado no site Poder 360.

Hoje, depois que brasileiros começaram a morrer com o coronavírus, mudou radicalmente de opinião.

“Esqueçam a política, danem-se direita ou esquerda. Livrem-se do ceticismo, como eu me livrei do meu. Uma situação inusitada desafia a sociedade global. Importante agora é ajudar na estratégia de isolamento social, reduzir a disseminação e “achatar” a curva das internações. Bora!”.

É um irresponsável, como tantos outros. O vírus já circula entre nós há algum tempo, e já há muitos infectados. Projeções indicam que, em dez dias, haverá 5.000 pessoas detectadas com o vírus no Brasil — e milhares de outros não detectados.

O que Xico Graziano fez foi guerra ideológica, colocando em risco a saúde de seus seguidores — ele tem quase 130 mil –, fora outros tantos que também leram seus tuítes e artigo

No caso dele, não se pode falar em ignorância.

É engenheiro agrônomo formado pela USP, mestre em Economia Agrária, doutor em Administração, e ex-professor da Unesp/Jaboticabal, além de articulista do jornal O Estado de S. Paulo.

Xico Graziano é, acima de tudo, um oportunista.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!