Depois de Temer, PSDB deve voltar a governar com Bolsonaro. Por Geraldo Seabra

Bolsonaro e Alckmin

O presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, anunciou que vai se encontrar nesta quinta-feira (4) com o presidente Jair Bolsonaro,  com quem vai discutir a participação dos tucanos na articulação política para aprovar a reforma da Previdência Social.

Segundo a Folha de S. Paulo, a quem Alckmin confirmou a reunião com Bolsonaro, esta será a primeira reunião pública entre os dois desde as eleições presidenciais do ano passado, quando se encontraram em debates televisivos na campanha eleitoral.

O PSDB, que governou o país a primeira vez nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso (1995-2003), voltando a fazê-lo na parceria com o Michel Temer após a deposição da presidenta Dilma Rousseff (PT), em 2016, deve ganhar uma fatia do governo Bolsonaro com seu apoio à reforma da Previdência Social.

Ninguém estranhe se o PSDB negar a participação no governo Bolsonaro. Depois de participarem ativamente no golpe para derrubar Dilma, os tucanos empoleiraram-se em quatro ministérios  e mesmo assim negaram a todo o momento que integravam o governo Temer.

Geraldo Seabra

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!