Depois do pré-sal, a privatização do SUS. Por Moisés Mendes

Publicado originalmente no blog do autor

Por Moisés Mendes

Os jornais esconderam a notícia sobre o decreto de Bolsonaro que abre a porteira para a privatização das Unidades Básicas de Saúde.
Arranjaram um jeito de entregar um serviço essencial do SUS aos amigos de Paulo Guedes.

O decreto sobre estudos das ‘parcerias’ com o setor privado tem o número 10.530/2020 e foi publicado hoje.

A grande imprensa decidiu esconder a informação. É um jeito de transferir recursos públicos para quem atua como ‘operador” na área da saúde.

Vão depreciar ainda mais o serviço público e os quadros de servidores para contratar a parceirada da direita.

O dinheiro que não existe hoje vai aparecer para construir unidades e remunerar parceiros.

O governo poderá até dizer que o sistema continuará público e universal, como manda a Constituição. Mas a que custo?

Quem pagará por essas parcerias é o setor público. Os parceiros vão entrar no negócio da saúde pública por desprendimento, para não ganharem nada?

Aí tem. É preciso ver o que está camuflado nesse decreto que abre os estudos para a privatização do SUS, começando pelas unidades básicas.

O brabo é que, se fizerem uma pesquisa, é possível que os usuários do SUS aprovem. Não duvidem.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!