Deputada propõe que fábrica da Fiat passe a produzir equipamentos hospitalares em PE. Por Vanessa Gonzaga

Em nota, a FCA se posicionou na terça (31), anunciando a instalação de um hospital de campanha em Goiana – Rafael Neddermeyer

Publicado originalmente no Brasil de Fato

Por Vanessa Gonzaga

Com a superlotação de leitos em hospitais de todo o mundo causadas pela pandemia de covid-19, tem se intensificado a demanda de equipamentos como os ventiladores pulmonares, essenciais para garantir a vida de pacientes e em estado grave, além de equipamentos de proteção individual (EPIs) como máscaras, protetores faciais plásticos, luvas, toucas e óculos. As empresas que fabricam esses itens já estão operando na capacidade máxima, mas ainda sem dar conta diante da necessidade e da urgência dos itens.

Na últimas semanas, ações coletivas entre governos e a indústria vem reorientando o trabalho produtivo. Multinacionais como a General Motors e PSA – Peugeot Citroën, anunciaram que vão fabricar artigos como protetores faciais de acetato e ventiladores pulmonares, além de consertar os que forem danificados.

Foi com base nessas experiências que a deputada estadual Teresa Leitão (PT) decidiu formalizar na última segunda (30) a Indicação nº 003554/2020, que propõe ao presidente da Jeep – Fiat Crysler Automóveis (FCA), Pierluigi Astorino, analisar a possibilidade de fabricar ventiladores pulmonares na fábrica da empresa situada em Goiana, na Região Metropolitana do Recife.

De acordo com a parlamentar, a medida é necessária diante do desabastecimento e da falta de proatividade do Governo Federal “A gente está com dificuldade de comprar material. Nós temos um governo muito precário nas relações internacionais, que brigou com o maior parceiro comercial do Brasil, que era a China, que poderia nos fornecer material. Nós, governadores, prefeitos, parlamentares, fazemos as coisas por nossa iniciativa porque não dá para esperar pelo presidente”, critica.

Além disso, a deputada propôs a criação de uma Câmara Técnica Permanente composta por diversos setores do estado para sugerir medidas de combate ao coronavírus e tentar barrar a onda de retrocessos em direitos trabalhistas, especialmente das demissões em massa que vem ocorrendo em fábricas, que integram o setor produtivo, e também no setor de serviços.

“A câmara seria essa mesa ampla pode discutir iniciativas para aplacar o desemprego nos próximos meses. Essa câmara teria competência de pensar cenários em diversas situações, porque temos que priorizar a vida das pessoas e minimizar os efeitos dessa crise no desemprego, porque a pandemia não é o único motivo para isso estar ocorrendo”, explica. A indicação para fabricação dos produtos pela FCA já foi aprovada no plenário da Alepe [Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco], e já foi enviada para o Governo do Estado, à própria empresa e às secretarias que podem contribuir na manobra. Já a formação da Câmara Técnica aguarda votação.

Em nota, a FCA se posicionou na terça (31), anunciando a instalação de um hospital de campanha em Goiana. De acordo com a nota, “o prédio, construído pela FCA para a instalação de uma Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (Upae), está em fase de adequação para abrigar 100 leitos, dos quais três em sala vermelha e outros 97 em enfermaria”.

A empresa também anunciou que irá dar um suporte ao aumento da capacidade produtiva de ventiladores no Brasil, participar em uma força-tarefa do Senai para reparo de ventiladores inoperantes e disponibilizar seis impressoras 3D para a produção de dois mil protetores faciais plásticos que serão destinadas para doação a serviços de Saúde de Minas Gerais e Pernambuco, estados onde a empresa tem filiais.

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Monyse Ravena

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!