Desmentido por Honda, Loreal e MWM, Bolsonaro passa vergonha após fuga da Ford para a Argentina

Tirando o gado do cercadinho do Alvorada, quem mais acredita no capitão?

Embora o presidente Jair Bolsonaro queira fazer acreditar que o Brasil é um país atrativo para empresas, ao ponto de que algumas delas deixariam a Argentina para se instalar por aqui, a realidade aponta que grandes corporações preferem o país vizinho, chamado de ‘comunista’ pelo gado.

Em publicação nas redes sociais em 6 de novembro de 2019, Bolsonaro disse:

“MWM, fábrica de motores americanos; Honda, gigante dos automóveis; e L’Oréal anunciaram fechamento de suas fábricas na Argentina e sua instalação no Brasil”.

As empresas, por sua vez, refutaram a declaração.

“A Honda não está fechando sua fábrica na Argentina, mas sim manterá suas operações no país como estava previsto. A partir de 2020, concentrará sua produção na linha de motocicletas. A divisão de automóveis também continuará no país com os modelos provenientes do exterior.”

Já a fábrica de motores MWM Argentina, apesar de ter fechado sua fábrica em Córdoba, negou que isso tinha relação com a vitória de Alberto Fernández nas eleições. A empresa disse também que seriam mantidas, na Argentina, a assistência técnica e a distribuição de peças de reposição.

A L’Oreál afirmou não ter previsto o fechamento de nenhuma fábrica na Argentina.

Hoje, a montadora Ford anunciou que irá fechar três fábricas no Brasil e encerrará as atividades no país, deixando 5 mil desempregados. Por sua vez, investiu 580 milhões de dólares na Argentina.

O posicionamento de Bolsonaro cria uma tensão com a Argentina além de diminuir o Brasil num momento de alta de desempregos e quedas de investimentos.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!