“Detesto essa segmentação sexual”: servidores públicos bolsonaristas reclamam de bolsa nos EUA para mulheres

Bolsonaro e seus fãs

Jair Bolsonaro (PSL) venceu em Brasília com 70% dos votos válidos, inclusive em regiões majoritariamente habitadas por servidores públicos federais, valorizados no período em que o PT governou o país, mas que podem, agora, perder direitos.

Um diálogo recente de um grupo de WhatsApp ao qual o DCM teve acesso mostra servidores bolsonaristas revoltados com bolsas de estudo exclusivas para mulheres na Universidade Columbia, em Nova York:

Tem para o sexo masculino? Ou temos que nos unir...”, diz um sujeito.

Seguido por outro, que completa “Boa”.

Com o apoio, o primeiro servidor continua “detesto essa segmentação sexual…Meritocracia”, e arremata “eu sento com minha nádegas (sic) e penso com meu cérebro”.

Por fim, um terceiro finaliza “ninguém aguente (sic) mais…ate as mulheres tão sem paciência com isso…(as mais gatas e bem sucedidas)”.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!