Diretor de cinema lembra da crítica que fez à Vale ao receber prêmio em 2015: “Dito e feito”

Brumadinho

PUBLICADO ORIGINALMENTE NO FACEBOOK DO AUTOR

Em 2015 a equipe do filme “A Lei da Água” recebeu da prefeitura de Brumadinho a medalha “Guardião do Rio Paraopeba”.

Como diretor do filme, fui a Inhotim participar do evento. Agradeci a medalha mas fiz fortes críticas a empresa Vale ali representada por diretores técnicos.

Fui depois criticado pela “grosseria” por alguns organizadores do evento.

Lembro que terminei o discurso assim:

“Se as coisas continuarem do jeito que estão não vai ter mais rio Paraopeba e essa medalha não me valerá de nada”.

Dito e feito!

Quatro anos depois nos despedimos hoje do Rio Paraopeba e se a ganância for grande, a Hidroelétrica Retiro Baixo continuar operando, esse crime vai destruir também o Rio São Francisco.

É lamentável que pós o rompimento da barragem de Fundão em Mariana, as medidas descritas no projeto “Mar de Lama Nunca Mais” não tenham sido implementadas.

Hoje o Brasil pode morrer de sede pois o rio da integração nacional corre um sério risco.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!