Dossiê Decotelli: todo o currículo do quase ministro da Educação é mais furado que queijo suíço

Bolsonaro e o novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli

O professor Sérgio Fernando Maciel Corrêa, do Instituto Federal Catarinense, enviou ao DCM um dossiê sobre o novo ministro da Educação, que publicamos a seguir:

QUEM é Carlos Alberto Decotelli da Silva, atual Ministro da Educação do Governo Bolsonaro, a partir do seu Currículo Lattes?

Carlos Decotelli afirmava ser doutor pela Universidade Nacional de Rosário, UNROS, Argentina.

Segundo ele, seu orientador de doutorado foi Antonio de Araújo Freitas Júnior, pró-reitor de Ensino, Pesquisa e Pós-graduação da Fundação Getúlio Vargas (lattes: http://lattes.cnpq.br/3581816157957538).

Na última edição do Lattes o nome de FREITAS-JÚNIOR foi retirado.

Importante: FREITAS-JÚNIOR afirma em seu Lattes ter orientado apenas cinco doutores, entre os quais não consta o nome de Decotelli.

O Mestrado e o orientador de Carlos Decotelli

Segundo o Lattes de Decotelli, ele possui mestrado profissional em Administração pela Fundação Getúlio Vargas, FGV, cujo título é Banrisul: do Proes ao IPO Com Governança Corporativa.

O orientador é Dr. Luis César Gonçalves, professor da FGV entre março de 1969 e janeiro de 2010.

O Lattes de César Gonçalves: http://lattes.cnpq.br/3508399044244869

GONÇALVES orientou trinta e cinco (35) mestres, mas o nome de Carlos Decotelli não está entre eles. Contudo, na dissertação consta o nome de GONÇALVES.

A dissertação é bisonha, desde o seu abstract que contém erros grotescos. Enquanto pesquisador ele não assume nem um tipo de metodologia para a construção do trabalho:

Pós-Doutorado sem ter doutorado

Em seu Lattes, Carlos Decotelli afirma que realizou pós-doutorado na Universidade de Wuppertal, UNI-WUPPERTAL, na Alemanha. Contudo uma pesquisa rápida no site da universidade (https://uwid.uni-wuppertal.de/) não traz o nome de Decotelli.

Todo pós-doc é uma pesquisa que necessariamente é publicada através de um artigo científico. Decotelli não tem um único artigo publicado que resulte de uma pesquisa de pós-doc.

Carlos Decotelli (Ministro da Educação), Antônio FREITAS-JÚNIOR (orientador do Dr.) e Luís GONÇALVES (orientador de mestrado) foram ou são colegas na Fundação Getúlio Vargas.

E nenhum dos orientadores afirma, em seus Lattes, que orientaram Carlos Decotelli. A dissertação de Decotelli é de qualidade duvidosa de um ponto de vista formal e metodológico.

Por fim, não há indícios de que um pós- doutorado tenha sido realizado na Universidade de Wuppertal na Alemanha.

Em primeiro lugar é preciso dizer que se trata de um “pós-doutor” que não publicou um único artigo em revista acadêmica.

Em seu Lattes, consta a publicação de quatro livros. Vamos a eles:

O primeiro se chama Administração Bancária, Uma Visão Aplicada e foi publicado pela Fundação Getúlio Vargas. E não é de autoria de Carlos Decotelli, mas do organizador: Clovis De Faro.

O ministro tem dois artigos publicados nesse livro em parceria com Rafael F. Schiozer, que no seu Lattes não faz referência ao texto e nem a Decotelli, e com Pedro Carvalho de Mello, que também não cita a referência e nem a parceria com Carlos Decotelli (https://editora.fgv.br/produto/administracao-bancaria-uma-visao-aplicada-2671).

O segundo livro se chama: Gestão de Riscos no Agronegócio e também foi publicado pela Fundação Getúlio Vargas.

Mas, ao contrário do que afirma Carlos Decotelli, o livro não é de autoria dele, mas foi produzido em colaboração com outros dois pesquisadores ligados à FGV: Félix Schouchana e Hsia Hua Sheng (https://editora.fgv.br/produto/gestao-de-riscos-no-agronegocio-2490).

O terceiro livro se chama Gestão de Finanças Internacionais e também foi publicado pela Fundação Getúlio Vargas.

Ao contrário do que afirma Decotelli em seu Lattes o livro não é de sua autoria, mas é uma obra feita em colaboração com mais três autores: Alex Sandro Monteiro De Moraes, Ivando Silva De Faria, Ricardo Bordeaux Rego todos com alguma relação com a FGV. O link está aqui: https://editora.fgv.br/produto/gestao-de-financas-internacionais-2488

Finalmente, o quarto livro se chama Matemática Financeira Aplicada e também é publicado pela Fundação Getúlio Vargas.

Decotelli

Ao contrário do que afirma Carlos Decotelli, não é uma obra sua, mas feita em colaboração com outros dois autores: Bruno De Sousa Elia e Luiz Celso Silva De Carvalho. Ambos com ligações estreitas com a FGV. 

Temos um ministro da educação que afirma ter pós-doutorado por uma Universidade Alemã, mas que, em realidade, foi REPROVADO no doutorado em uma universidade Argentina.

Sua dissertação parece ser mais um recorte mal feito de um pré-projeto de pesquisa inacabado que nem metodologia de pesquisa prevê. Já encontraram até plágio (https://threadreaderapp.com/thread/1276718086410944512.html)

Seus orientadores de mestrado e do ‘pseudo’ doutorado (até a última edição do Lattes) não arriscaram colocar o nome de Carlos Decotelli entre seus orientandos. Por que será?

Além de não ter publicado nenhum artigo em revista acadêmica séria (que sempre envolve avaliação pelos pares e a eventual reprovação do texto), o ministro Carlos Decotelli publicou capítulos de livros esparsos e atribui autoria desses livros somente a si mesmo, mesmo sendo obras feitas em parceria com outros autores, os quais ele sonega participação no seu Currículo Lattes.

Por fim, a dúvida: como a FGV, que traz em sua visão a exigência de ser reconhecida PELA “formação de uma elite acadêmica;” QUE afirma em seus valores institucionais que “tecnicamente procurará ser a melhor em todas as áreas que atua”; QUE em seu código de ética traz como princípios, entre outros, “repudiar qualquer prática fraudulenta ou de corrupção”, “condenar as condutas ilícitas tais como falsificação de documentos”, “praticar a honestidade intelectual e acadêmica repudiando as consultas não autorizadas, o plágio, a prestação de informações falsas, entre outras práticas indevidas…

Como a FGV tem em seus quadros um doutor que não é doutor? Um mestre com produção pífia e autor de livros que não são dele? E mais: por que toda atividade acadêmica inicia e culmina na Fundação Getúlio Vargas?

O Lattes de Decotelli antes da descoberta da fraude

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!