E se um juiz proibisse o próximo ato fascista do grupo Direita São Paulo? Por Donato

E se em São Paulo existisse um juiz nos moldes da juíza Diele Denardin Zydek – que proibiu atos pró Lula em Curitiba no próximo dia 10 – e também decretasse que protestos que não lhe agradassem fossem impedidos de acontecer?

Suponhamos ainda que esse juiz tivesse uma quedinha pela esquerda e vetasse manifestações  que trazem o reacionarismo no seu DNA. Bem, ele poderia começar por proibir um ato agendado para o próximo dia 21 na inescapável avenida Paulista.

Convocada pelo ‘movimento’ Direita São Paulo, a Marcha pela Soberania Nacional é mais uma ‘passeata’ organizada pelo grupo que espancou palestinos na mesma avenida semana passada.

É mais uma daquelas manifestações convocadas logo depois de uma outra com dimensões pífias, mas que ganharam repercussão graças a alguma ocorrência fora do script (o confronto com os imigrantes, neste caso). Empolgados pelo bafafá das redes sociais, acreditam que a seguinte será um sucesso.

Vergonha alheia é pouco.

Esse pessoal que algum tempo atrás esteve vestindo camisetas com a frase ‘A culpa não é minha, eu votei no Aécio’ parece que perdeu o norte de vez.

A redação do porque da convocação é esta:

“Diante das ameaças à Soberania Nacional com o Congresso Nacional legislando contra o povo brasileiro, criando leis que abrem as portas da Nação ao terrorismo, a Direita São Paulo vai às ruas novamente em defesa da nossa Soberania.

Mesmo com toda a imprensa querendo nos jogar contra o povo, nós sempre defendemos a verdade e sabemos que o povo também possui esses valores, é por isso que não desistiremos de lutar pelo Brasil, mesmo após sermos atacados covardemente com bomba por terroristas.

Tendo em vista que a nova Lei de Migração tira alguns dos poderes de controle de entrada de estrangeiros no Brasil da Polícia Federal e o entrega às ONGs internacionais e globalistas, tendo em vista que esta lei pode trazer ao Brasil grupos terroristas a exemplo das FARC e do Estado Islâmico, saíremos em marcha na Av Paulista no próximo dia 21/05 em defesa da nossa Soberania Nacional pela proibição da nova Lei de Migração reformulada por Aloysio Nunes.
Mas desta vez, não estaremos sozinhos! A Direita Nacional se organizou e a Marcha ocorrerá em vários Estados do Brasil, em breve lançaremos o link de cada um.”

Sim, eles continuam com o discurso de que foram vítimas de um ato terrorista.

Sim, continuam martelando no perigo mundial que o Brasil irá se transformar dada a inevitabilidade de nos tornarmos acolhedores das FARC (não sei se essa turma lê algo além das manchetes mas as FARC assinaram tratado de paz com o governo Colombiano, depuseram as armas e estão autorizadas a se transformarem num partido político) e do Estado Islâmico (oi??).

Definitivamente, esses caras não se emendam. Xenófobos e racistas a não poderem mais, estão contra a nova lei que trata dos tipos de visto necessários para ingresso no país, que rege direitos e deveres e regula a entrada e estada de imigrantes, que dispõe sobre a naturalização de estrangeiros.

Uma lei que revoga, em parte, o antigo Estatuto do Estrangeiro estabelecido lá atrás, durante a ditadura militar. Sintomático que queiram a manutenção de uma carta daqueles tempos, não?

Pessoal do Direita São Paulo: a nova lei não é voltada exclusivamente para imigração e migrar continua liberado. Podem ir para Miami, por exemplo. Se preferirem, podem substituir por lua, ou marte.

Até porque, vai que algum juiz segue o exemplo da paranaense Diele Zydek e resolve dar uma canetada autoritária. Vocês não iriam gostar de ter a liberdade tolhida, certo?