“É um crime ser imparcial diante da morte. Somos todos Petra!”, diz Pedro Cardoso sobre “Democracia em Vertigem”

Pedro Cardoso

Publicado no Instagram de Pedro Cardoso

Bom dia.

Eu gosto do filme Democracia em Vertigem. Sugiro que todo mundo assista.

Gosto da intenção de quem o fez de expor o que, ao q tudo indica, foi um golpe de estado parlamentar, operado nas imperfeições da legalidade, contra a democracia nossa.

Admito que se possa fazer ressalvas ao filme – como a tudo -, principalmente no que pouparia o PT de suas responsabilidades nas irresponsabilidades que cometeu, ao q tudo também indica.

Mas, mesmo considerando alguma parcialidade, eu adoro o filme justamente por esta mesma possível parcialidade q nele criticam.

Amo o filme pela intenção de quem o vez de proteger o Brasil desse inferno nazifascista fundamentalista falso religioso criminoso e medíocre que bandidos apoiados por 57 milhões de imprudentes concidadãos meus colocaram na gerencia do executivo.

Quando meu colega Pedro Bial diz, em irada crítica ao filme, que “Quando a direita ganha, então a democracia está em risco” (aspas colhidas no Diário de Pernambuco) ele comete o gravíssimo erro de considerar Messias e os seus como direita.

Direita é o PSDB atual. O grupo q tramou o golpe é nazifascista. Não é de modo algum a mesma coisa.

Nós, democratas de esquerda, conviveremos pacificamente bem em oposição construtiva com administrações honestas de direita; mas haveremos de nos opor absolutamente contra o fundamentalismo falso religioso do nazifascismo em vigor.

Nós somos todos Petra Costa! e sua imensa coragem de elogiar a luta dos pais, e de tantos, contra o nazifascismo brasileiro. O ataque ao PT nunca se deveu a um desejo de honestidade na política.

Foi movido pelo sórdido interesse de se apossar do Estado para roubar. As evidências desse objetivo estão demonstradas nos escândalos de Flávios, Queirozes, Moros e Dellanhoes, Marcelos turistas, Alvins…

Ainda crê nessas pessoas quem precisa fugir da vergonha do seu engano ou é igual a eles. A parcialidade discutível de Petra é o que me faz adora-la ainda mais! É um crime ser imparcial diante da morte.

Imparcialidade é para tempos de plena liberdade. Tudo deve ser dito contra o nazifascismo, até mesmo a versão idealizada da nossa esperança. ❤️Petra!

View this post on Instagram

Bom dia. Eu gosto do filme Democracia em Vertigem. Sugiro que todo mundo assista. Gosto da intenção de quem o fez de expor o que, ao q tudo indica, foi um golpe de estado parlamentar, operado nas imperfeições da legalidade, contra a democracia nossa. Admito que se possa fazer ressalvas ao filme – como a tudo -, principalmente no que pouparia o PT de suas responsabilidades nas irresponsabilidades que cometeu, ao q tudo também indica. Mas, mesmo considerando alguma parcialidade, eu adoro o filme justamente por esta mesma possível parcialidade q nele criticam. Amo o filme pela intenção de quem o vez de proteger o Brasil desse inferno nazifascista fundamentalista falso religioso criminoso e mediocre que bandidos apoiados por 57 milhões de imprudentes concidadãos meus colocaram na gerencia do executivo. Quando meu colega Pedro Bial diz, em irada crítica ao filme, que “Quando a direita ganha, então a democracia está em risco” ( aspas colhidas no Diário de Pernambuco) ele comete o gravíssimo erro de considerar Messias e os seus como direita. Direita é o PSDB atual. O grupo q tramou o golpe é nazifascista. Não é de modo algum a mesma coisa. Nós, democratas de esquerda, conviveremos pacificamente bem em oposição construtiva com administrações honestas de direita; mas haveremos de nos opor absolutamente contra o fundamentalismo falso religioso do nazifascismo em vigor. Nós somos todos Petra Costa! e sua imensa coragem de elogiar a luta dos pais, e de tantos, contra o nazifascismo brasileiro. O ataque ao PT nunca se deveu a um desejo de honestidade na política. Foi movido pelo sórdido interesse de se apossar do Estado para roubar. As evidências desse objetivo estão demostradas nos escândalos de Flávios, Queiroses, Moros e Dellanhoes, Marcelos turistas, Alvins… Ainda crê nessas pessoas quem precisa fugir da vergonha do seu engano ou é igual a eles. A parcialidade discutível de Petra é o que me faz adora-la ainda mais! É um crime ser imparcial diante da morte. Imparcialidade é para tempos de plena liberdade. Tudo deve ser dito contra o nazifascismo até mesmo a versão idealizada da nossa esperança. ❤️Petra!

A post shared by Pedro Cardoso (@pedrocardosoeumesmo) on

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!