Economist critica “caos nos tribunais” do Brasil e diz que pena de Lula é “dura demais”. Por Kiko Nogueira

Lula na Economist: “caos judicial”

 

A Economist, em sua nova edição, dedicou uma matéria às “decisões contraditórias” dos juízes no caso do solta e prende de Lula naquele domingo fatídico.

Foi além disso.

“A guerra judicial colocou Lula de volta ao centro da campanha”, diz o texto.

“No Google, a procura pelo seu nome cresceu 50 vezes no dia 8 de julho. Isso aumenta o risco de os brasileiros considerarem a eleição ilegítima caso Lula não possa concorrer. E o caos nos tribunais reforça as preocupações de que o Judiciário se tornou apenas um fórum de política partidária”.

Mais: “Num país onde apenas o Supremo Tribunal Federal, com 87.000 casos por ano, pode julgar processos criminais contra autoridades, permitindo que muitos acusados de corrupção andem livremente, a sentença de 12 anos de prisão contra Lula parece dura demais”.

“Se um número suficiente de eleitores acreditar que Lula foi injustiçado, é provável que eles apoiem quem quer que ele indique”.

A Economist, como se sabe, é ponta de lança do plano bolivariano-catanduvense-incaico-maometano de dominação mundial, juntamente com Neymar e Joelma do Calypso.