Edir Macedo faz chantagem e Bolsonaro se mexe para evitar debandada de evangélicos

Edir Macedo não dá ponto sem nó. Foto: divulgação

Edir Macedo está chantageando Bolsonaro.

O problema decorre da crise da Universal do Reino de Deus em Angola.

O bispo, que é dono da Record, está cansado da apatia do governo em relação ao problema e já ameaça com o rompimento da aliança da denominação evangélica com o Planalto.

Integrantes da Igreja de Macedo foram indiciados por lavagem de dinheiro após serem denunciados por pastores angolanos.

A Universal tem 230 templos em Angola e dezenas de missionários não estão tendo o seu visto renovado para atuar no país.

Impaciente, Macedo optou pela pressão.

Marcos Pereira, presidente do Republicanos, seu escudeiro na Câmara, reclamou ao vivo na TV Templo sobre a postura do governo diante da situação, chamando a apatia de Bolsonaro de descaso.

Renato Cardoso, genro de Edir e número dois da Universal, falou em “decepção” com a “omissão” do governo à TV Record.

“Esse é o protesto, especialmente do povo cristão, que apoiou e faz parte da base do governo. É muito triste e decepcionante”, afirmou Cardoso no dia em que foi recepcionar no aeroporto os pastores deportados, segundo informa o jornal O Globo.

Preocupado, Bolsonaro teria sinalizado a Edir que vai se movimentar.

Não é tarefa simples. A crise em Angola começou em 2019 quando cerca de 300 bispos e pastores locais se rebelaram contra a direção brasileira da Universal. O grupo tornou públicas acusações contra a igreja, como lavagem de dinheiro, sonegação e imposição de vasectomia às lideranças evangélicas.

O medo de Bolsonaro é Edir se entender com Lula. Sem apoio dos evangélicos, seria o triste fim do capitão.

 

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!