Efeito colateral da lambança de Toffoli/Moraes: STF suspende decisão de Fux de censurar entrevista de Lula

Lula. Foto: Nelson Almeida/AFP

A lambança de Toffoli e Alexandre de Moraes ao censurar sites de extrema direita ligados à Lava Jato por uma matéria com uma delação vazia implicando o presidente do STF foi útil para a democracia, ao fim e ao cabo.

Vai ficando cada vez mais absurda a situação de Lula — não apenas com relação ao processo que levou à sua prisão, mas à proibição de ele dar entrevistas por ordem do Supremo.

A Justiça não pode girar em torno de um homem preso em Curitiba e ele não pode ter uma Constituição dedicada apenas ao seu caso.

O barco, ao que indica, muda de rumo.

Deu na coluna de Mônica Bergamo:

O STF liberou o ex-presidente Lula para dar entrevistas à Folha e a outros veículos que pediram autorização para falar com ele na prisão.

A decisão foi anunciada nesta quinta (18).

Em setembro do ano passado, o ministro Luiz Fux suspendeu uma liminar concedida por Ricardo Lewandowski que autorizava a Folha a entrevistar Lula na prisão, em Curitiba.

Fux não apenas cassou a permissão como disse que, se a entrevista já tivesse sido realizada, sua divulgação estaria censurada, estabelecendo uma censura prévia que é expressamente proibida pela Constituição.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!