Elcio Franco mandou retirar presos do calendário de vacinação, diz Francieli Fantinato na CPI da Covid

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, coronel Élcio Franco Foto: Júlio Nascimento/PR

Em depoimento à CPI da Covid nesta quinta-feira (8), a ex-coordenadora do Plano Nacional de Imunização (PNI), Francieli Fantinato, disse que o ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde Elcio Franco, braço direito do ex-ministro Eduardo Pazuello, mandou retirar os presos do grupo prioritário no calendário de vacinação contra covid-19.

“Foi solicitada a retirada desse grupo, mas me neguei. Se eles resolvessem retirar, eu disse que seria sem aval do PNI. A secretaria-executiva tinha autonomia para essa decisão”, afirmou Francieli.

“Se eles quisessem tirar, eles são superiores a mim, mas pelo Programa Nacional de Imunizações não sairia”, disse ela, questionada pela senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA)

“Nós colocamos as populações vulneráveis nos grupos prioritários, entre elas, a população privada de liberdade, porque é uma parte que tem uma prevalência maior de doenças infecciosas, já que as condições presidiárias não são adequadas. Nós, da câmara técnica, orientamos a vacinação desse grupo”, explicou a ex-chefe do PNI.

De acordo com Francieli, as pessoas privadas de liberdade seriam incluídas no plano por causa da maior incidência de doenças infecciosas nos presídios, além das condições precárias das cadeias no Brasil.

Ela ressaltou que as pressões para alterar o grupo prioritário atrapalharam a campanha do governo contra a covid-19.