Em conversa vazada, Moro se aconselha com Dalagnoll após defesa de Lula querer ouvir Tacla Durán

Moro foi aconselhado por Dalagnoll após defesa de Lula querer ouvir Tacla Durán: ‘Respira fundo’

Mensagens trocadas entre Sergio Moro — então juiz titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelos casos da autodenominada “lava jato” — e Deltan Dallagnol — à época coordenador da “operação” — revelam que a condução de processos relacionados a Lula foi combinada entre acusação e julgador.

Moro perguntou a Dallagnol se os procuradores tinham uma denúncia ‘sólida o suficiente’ contra Lula e, em resposta, obteve informações sobre o que eles apresentariam contra o ex-presidente.

Procurador e juiz também trocam confidências sobre a atuação da defesa de Lula e as denúncias do advogado Rodrigo Tacla Durán de que um amigo de Moro lucraria intermediando acordos de delação premiada.

Moro recebe orientação de Dallagnol sobre como lidar com Lula – Foto; Reprodução

Para os advogados de Lula, “é possível desde já constatar, para além da escancarada ausência de equidistância que deveria haver entre juiz e partes, por exemplo: (1) a efetiva existência de troca de correspondência entre a “força-tarefa da lava jato” e outros países que participaram, direta ou indiretamente, do Acordo de Leniência da Odebrecht, como, por exemplo, autoridades dos Estados Unidos da América; (2) documentos e informações que configuram quebra da cadeia de custódia relacionados aos sistemas da Odebrecht; e (3) a busca selvagem e a lavagem de provas pelos órgãos de persecução, com a ciência e anuência do juízo de piso”.

Com informações do Consultor Jurídico.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!