Em família: cunhado de Roseana Sarney ganha cargo em ministério de Sarney Filho. Por Marcelo Auler

Samir Murad, cunhado de Roseana Sarney
Samir Murad, cunhado de Roseana Sarney

Publicado no blog de Marcelo Auler.

 

Nomeado pelo ministro chefe da Casa Civil interino, Eliseu Padilha, o cunhado de Roseana Sarney, o advogado ambientalista Samir Jorge Murad, vai trabalhar agora no  Ministério do Meio Ambiente, que, na partilha do governo interino, coube ao deputado José Sarney Filho (PV-MA).

Samir é irmão de Ricardo Jorge Murad, marido da ex-governadora do Maranhão.

Ou seja, sem querer discutir o mérito do indicado, não deixa de ser uma “ação em família”. Família, por sinal, golpista. O chefe do clã maranhense é José Sarney que milita politicamente desde a década de 50, quando integrava a UDN. Apoiou o golpe militar, depois pulou do bonde da Arena quando viu que a redemocratização do país era inevitável.

Virou vice-presidente na chapa do peemedebista Tancredo Neves na eleição indireta de janeiro de 1985 e acabou assumindo a presidência da República definitivamente com a morte de Tancredo em abril daquele ano.

Os Sarneys apoiaram o golpe que retirou a presidente eleita, Dilma Rousseff, do poder. Isso não é novidade, pois o chefe do clã também apoiou o golpe militar que levou o país a 21 anos de ditadura e beneficiou-se dele, até como governador nomeado do seu estado, época em que ajudou a aumentar a pobreza dos maranhenses.

sarney filho nomeia murad

 

Nepotismo?

A nomeação de Samir Murad foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (20/06). Para ele assumir uma vaga no conselho diretor do Serviço Florestal Brasileiro, do Ministério de Meio Ambiente, o governo interino demitiu César Augusto Soares dos Santo da diretoria de Administração e Finanças.

Em 2013, Samir queria se candidatar a uma vaga de desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão pelo quinto dos advogados, Na época, quem escolheria o novo desembargador era a sua cunhada, Roseana Sarney, então à frente do Executivo. Mas a OAB regional barrou a indicação para não caracterizar nepotismo. Depois, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil confirmou o impedimento. Todos entenderam que se tratava de nepotismo.

E agora? Não é?

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!