VÍDEO – Enfermeira pede demissão nos EUA após ser proibida de usar máscara: “Não estamos sendo protegidos”

Os profissionais de saúde estão arriscando suas próprias vidas no combate à pandemia do coronavírus, mas muitos deixam de usar o equipamento de proteção individual necessário para permanecerem seguros.

Enquanto muitos médicos aguardam máscaras, luvas e outros suprimentos essenciais, Imaris Vera, uma enfermeira de Chicago, conseguiu comprar sua própria máscara N95 para usar no trabalho.

É o respirador recomendado pelos CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos) para profissionais de saúde, porque captura 95% das partículas de ar quando usado corretamente.

Mas Vera alega que foi proibida de usar o equipamento, mesmo cuidando de pacientes com coronavírus em uma unidade de UTI.

A enfermeira tem mais de três anos de experiência trabalhando em trauma, pós-operatório, assistência médica cardíaca e cirúrgica em período integral. Mas ela sentiu que não tinha outra opção senão largar o emprego.

Nas redes sociais, ela desabafou sobre a situação dos funcionários do hospital em que trabalhava. “Nenhuma das enfermeiras está usando máscaras, nem mesmo máscaras cirúrgicas nos corredores, quando estão dando relatórios”, disse Vera.

“Eu tinha minha própria máscara N95, então disse ao meu gerente: ‘Entendo que estamos com falta de suprimentos, mas deixe-me me proteger, deixe-me sentir segura, tenho uma família e preciso voltar para casa'”, relatou.

A enfermeira denuncia que os EUA “não estão preparados e os enfermeiros não estão sendo protegidos” contra a Covid-19.

Veja o depoimento:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!