Enigmas do Vivendas da Barra: álibis se desmontam? Por Marcelo Auler

Condomínio Vivendas da Barra. Foto: Reprodução

Publicado originalmente no blog do autor

POR MARCELO AULER

A partir dos desdobramentos da revelação da TV Globo de que Élcio Vieira de Queiróz, suspeito de matar Marielle Franco e Anderson Gomes, ingressou no condomínio Vivendas da Barra, horas antes do assassinato, dizendo ir visitar a casa 58, do então deputado federal Jair Bolsonaro, a imprensa já mostrou incongruências nas explicações e álibis apresentados pelo hoje presidente, seus filhos e até advogados da família.

Versões prontamente encampadas pela Procuradoria da República e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Pelo que Luís Nassif levantou e Ruben Berta vem mostrar ser possível, Bolsonaro não precisava estar no Rio para que o porteiro falasse com ele.

Outro questionamento feito por este Blog, agora é respondido por Lauro Jardim: a gravação apresentada por Carluxo mostrando que o porteiro falou com outro suspeito do assassinato, Ronnie Lessa, e não com seu pai, não traz a voz do porteiro que depôs na polícia.

Ou seja, ao que parece, álibis estão se desmontado.

Leia e entenda aqui.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!