Ajuda dos bancos é propaganda: na prática, dobraram juros e seguram dinheiro

Publicado em 26 março, 2020 3:18 pm
Notas de real. Foto: Marcello Casal/Agencia Brasil

De Antonio Temóteo no UOL.

Após alardearem que ajudariam os clientes a enfrentar a crise econômica decorrente da pandemia de coronavírus, os bancos não estão liberando empréstimos, aumentaram os juros e reduziram os prazos de pagamentos para dívidas novas.

Empresários ouvidos pelo UOL declararam que os bancos aumentaram as taxas para empréstimos usados para manter os negócios, pagar funcionários e comprar novos equipamentos. Até empresas de infraestrutura de internet, que precisam ampliar os serviços para atender a nova demanda de home office, não conseguem dinheiro. O crédito para investimentos, segundo relatos, teve alta de dois pontos percentuais. Em outras operações, os juros mais do que dobraram.

O BC (Banco Central) diz que os bancos já estão aumentando juros e reduzindo prazos. A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) negou alta de juros.

Para antecipação de recebíveis, em alguns casos, a taxa mais que dobrou. Essa operação ocorre porque o dinheiro recebido por cartões demora mais a chegar às empresas. Elas então antecipam os valores de vendas de cartão nas credenciadoras ou nos bancos, porque precisam de dinheiro à vista (capital de giro) para honrar os compromissos e não podem esperar o prazo das parcelas.

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!