Alexandre Frota entra na disputa por nome e logomarca do MBL

Publicado em 30 setembro, 2017 7:57 am

Do El Pais:

O Movimento Brasil Livre (MBL), grupo de direita que nasceu para pedir o impeachment de Dilma Rousseff e pregar contra a corrupção, não existe como pessoa jurídica. Ele está vinculado a associação Movimento Renovação Liberal, que está registrada em nome de Renan Santos, um dos coordenadores nacionais do grupo, e outras três pessoas. Entretanto, o nome MBL e sua logomarca são alvos de uma disputa por sua propriedade. Enquanto Renan e seus irmãos lutam para tomar de vez a marca para si, o analista político Vinícius Carvalho Aquino, 26 anos, garante que ele e um grupo de Alagoas são os verdadeiros criadores do movimento.

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) já recebeu três pedidos de domínio sobre a marca: um do próprio Renovação Liberal, um de Vinícius Aquino e um terceiro da NCE Filmes, produtora audiovisual que pertence a Alexandre dos Santos, irmão de Renan. Até a publicação desta reportagem, o pedido de Alexandre dos Santos havia sido rejeitado uma vez, enquanto as duas outras demandas seguiam em análise.

De acordo com Aquino, no início de 2014, ele e mais cinco amigos de Maceió se juntaram em torno da ideia de afastar Dilma Rousseff da presidência da República e “mostrar a massa crítica do povo, contra o discurso do jeitinho brasileiro”. Teria surgido assim a motivação do MBL – Movimento Brasil Livre: “À época, a ideia era espalhar a marca pelo Brasil, sem uma liderança específica, buscando melhorias e pessoas motivadas a mudar o país. Assim, uma empresa de comunicação, AGENCIA P, do amigo e criador Paulo Gusmão, cuidou da gestão e artes dessa marca. Diversas reuniões ocorreram até espalharmos a marca pelo Brasil, por volta de outubro de 2014”.

O analista político afirma possuir provas do que alega, e por isso já entrou com um pedido junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) para ficar com a marca que, garante, foi criada por ele e seus colegas de Maceió. Ele até já escolheu um vice-presidente para tocar o “novo MBL” junto com ele quando retomar o nome do movimento: trata-se do ator e agora ativista político de direita Alexandre Frota, que confirmou ao EL PAÍS seu desejo de atuar junto com Vinícius Aquino frente ao movimento que pretendem encampar. “Frota, além de ser muito solícito, vestiu a camisa do verdadeiro MBL, sabendo da missão que temos em restaurar a dignidade da marca”, conclui Aquino.