Associar Holocausto à esquerda é falsificar a história, afirma rabino

Publicado em 3 abril, 2019 11:44 am
Michel Schlesinger, rabino da Congregação Israelita Paulista. Foto: Reprodução/YouTube

Reportagem da Folha de S.Paulo afirma que, para Michel Schlesinger, rabino da Congregação Israelita Paulista e representante da Confederação Israelita do Brasil para o diálogo inter-religioso, o nazismo foi uma ação da extrema-direita europeia, embora seu oposto, a extrema-esquerda, também tenha gerado catástrofes. “O Holocausto foi um produto do nazi-fascismo, movimentos da extrema-direita europeia. Dizer que a Shoá [Holocausto] foi criada pela esquerda é falsificar a história”, diz Schlesinger. “A extrema-esquerda também produziu catástrofes abomináveis, mas o assassinato de seis milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial não foi uma delas”, prosseguiu o rabino.

De acordo com a publicação, nesta terça-feira (2), em visita ao Museu do Holocausto, o presidente Jair Bolsonaro disse considerar o nazismo de esquerda, apesar de o site oficial do memorial, em Jerusalém, apontar que o movimento nasceu de grupos radicais de direita.

A definição feita pelo museu, de que o nazismo é de direita, também contraria a afirmação do chanceler brasileiro Ernesto Araújo, que associou o nazismo a movimentos de esquerda. “Muitas vezes, a associação do nazismo com a direita foi usada para denegrir movimentos que são considerados de direita e que não têm nada a ver com o nazismo, completa a Folha.