Ativista LGBT é vítima de homofobia

Publicado em 4 janeiro, 2020 10:00 pm
Eliseu Neto e seu namorado, Ygor Higino. Foto: Reprodução

Eliseu Neto, professor e assessor legislativo, foi vítima de homofobia de um motorista de aplicativo e policias no Recife.

Ele conta, em seu Twitter:

“Eu fui agredido pela polícia de Recife. De forma surreal. Quando me viram com meu namorado vieram me bater. Estávamos dentro do 99 e o motorista do aplicativo nos mandou descer, que não queria “aquilo” dentro do carro . Quando eu fui tirar foto da placa do carro para reportar ao aplicativo/empresa o motorista disse que chamaria a polícia, pois a havia uma viatura em frente. De forma surreal o policial chegou já agressivo. Pedi que ele se acalmasse e se identificasse. A resposta foi um empurrão. Levantei e disse que ele não poderia tratar ninguém daquela forma. Fui empurrado novamente. Foi uma cena surreal”.

Pelo Twitter, ele contou que já está tomando devidas providências:

“Estou em contato com Maxwell Vignoli”, que é “Promotor de Justiça em Recife que se dispôs a assumir a denúncia contra o policial. Também com a coordenadora estadual LGBT e estamos conversando sobre vir falar com a polícia do estado sobre lgbtfobia”