Ato em Brasília reduz de tamanho e reúne 10 mil manifestantes

Publicado em 30 junho, 2019 6:49 pm
Ato em Brasília
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Do Correio Braziliense:

A presença de carros de som e de integrantes do movimento MBL na manifestação de apoio ao ministro da Justiça, Sergio Moro, na praia de Copacabana, está sendo criticada por boa parte dos apoiadores do ex-juiz e causou um pequeno tumulto que precisou da intervenção da polícia, neste domingo (30/6).
Apesar de rapidamente solucionado, o clima contra o MBL é tenso e eleitores do Bolsonaro que não fazem parte do movimento fazem questão de gritar “traidores” e “vendidos” ao passar pelos carros de som patrocinados pelo movimento antes liderado pelo deputado federal Kim Kataguiri.

Manifestantes se reuniram em algumas capitais pelo país para defender o ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública, e exaltar a Operação Lava-Jato. Os mais robustos foram observados em Brasília, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte, mesmo sem números oficiais, que não foram fornecidos pelas polícias estaduais. Em São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, as manifestações foram menores.

(…)

Em Brasília, o protesto teve início em frente ao Congresso Nacional, onde foram inflados quatro bonecos gigantes. Um deles, tradicional, veste Moro com a roupa do personagem Super-Homem — o super-herói fictício dos quadrinhos — e apresenta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com roupa de presidiário. Um dos infláveis uniu Lula ao ex-ministro do PT José Dirceu, condenado na Lava Jato, e o ministro do STF Gilmar Mendes. Um dos bonecos associou o Supremo ao PT, partido adversário dos bolsonaristas.

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!