“Cedo para falar em caso isolado”, afirma dirigente estudantil sobre erro no Enem

Publicado em 18 janeiro, 2020 1:59 pm
O ministro da Educação, Abraham Weintraub
(foto: Lula Marque/Fotos publicas)

Da coluna de Chico Alves no UOL:

O presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, Pedro Gorki, defende que o Ministério da Educação deve investigar melhor o erro de correção do Enem antes de divulgar que se trata de um problema restrito a um grupo pequeno de candidatos. “Acho que admitir a culpa reforça a necessidade de se ter apuração rigorosa.

É muito cedo para o MEC dizer que é apenas um fato isolado”, diz ele. “Na verdade, isso pode ser a ponta do iceberg de uma falha na organização do MEC”. Gorki lembra que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do Enem, trocou de presidente muitas vezes no último ano e teve vários problemas internos.

Na manhã de hoje, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, divulgou vídeo nas redes sociais admitindo “algumas inconsistências na contabilização e correção da segunda prova do Enem do ano passado”. Segundo ele, um “grupo muito pequeno de pessoas teve o gabarito trocado quando foi fechado (sic) os envelopes”.

O dirigente estudantil pede cautela antes de se afirmar que o problema é restrito a 0,1% dos candidatos, como disse o ministro. “Se nenhum governo ou ministério está livre de erros, imagine uma pasta tão desorganizada e com gente tão despreparada”, critica o presidente da Ubes. “Esse é um episódio lamentável para história de um exame tão importante para o Brasil”

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!